05/05/2017 14:15:00

COMBATE À VIOLÊNCIA
Implantação do Botão do Pânico em Guarapuava está em fase de alinhamento
Município será o primeiro do Paraná a receber botões que auxiliarão mulheres em situação de violência


(Foto: Divulgação/Assessoria de imprensa)


Da Redação, com assessoria

Guarapuava - Órgãos de Guarapuava engajados na proteção de mulheres em situação de violência estão realizando reuniões de alinhamento para execução da lei do Botão do Pânico. Os resultados obtidos com mulheres do município, que será o primeiro do Paraná a receber os aparelhos, servirão de modelo para implantação de mais botões no restante do Estado. A lei estadual que permite a instalação dos aparelhos é de autoria da deputada estadual Cristina Silvestri (PPS) e foi sancionada em agosto do ano passado pelo governador Beto Richa.

Nesta sexta feira (05), foi realizada a segunda reunião de alinhamento para implantação dos botões, que contou com a presença da deputada Cristina, da delegada da mulher, Amanda Ribeiro, da juíza Carmen Mondin, da secretária de Políticas Públicas para as Mulheres, Priscila Schran, da assessora jurídica da Secretaria da Mulher, Kelen Klein Bruger, da tenente Beatriz Manfroi e do tenente-coronel Erich Osternack.

Relembre: Guarapuava será a cidade piloto para a efetivação do Botão do Pânico

No encontro, foram apresentadas pesquisas com municípios de outros Estados que possuem um sistema de segurança semelhante ao que será executado no Paraná.

“Estamos em contato com municípios do Espírito Santo e de Minas Gerais, que estão realizando um bom trabalho com um sistema de segurança semelhante ao que queremos instalar”, explicou Cristina.

No encontro, também foram discutidas questões relacionadas ao funcionamento dos aparelhos, além de pontos que envolvem o monitoramento da vítima e do agressor, logística de atendimento da PM e suporte às mulheres que eventualmente acionarem os botões.

ATENDIMENTOS

A princípio, as mulheres que acionarem os botões terão o primeiro atendimento realizado pela Polícia Militar. Porém, com a possibilidade de instalação de uma Guarda Municipal em Guarapuava, isso pode mudar. Recentemente, em Brasília, o prefeito Cesar Silvestri sinalizou o interesse na criação da repartição, que, caso efetivada, poderia realizar os primeiros atendimentos após o acionamento dos botões.

Para o tenente-coronel Erich, do 16º BPM, os atendimentos através da Guarda Municipal solucionariam possíveis problemas relacionados ao efetivo da PM.

“Para realizarmos um bom trabalho hoje no atendimento destes casos, precisaríamos de, pelo menos, mais dois policiais. Com a Guarda, isso não seria necessário e uma sobrecarga de trabalho seria evitada, garantindo um atendimento rápido às vítimas que acionarem os aparelhos”.

Em junho, os envolvidos no processo de implantação se reunirão novamente para debater mais assuntos relacionados a instalação dos aparelhos. A expectativa é que a execução aconteça ainda este ano através da Secretaria da Segurança Pública e Administração Penitenciária do Paraná (SESP), que após realizar testes em Guarapuava, instalará gradativamente mais aparelhos no restante do Estado.

COMENTÁRIOS