09/08/2017 14:21:00

PRESSÃO
Governo recua e devolve parte do orçamento para PRF
Ministério do Planejamento passa a cortar 11% a menos do que foi anunciado há um mês


Deputada federal Christiane Yeared, uma das parlamentares que fez a pressão (Foto: Assessoria)


Da Redação, com assessoria

Brasília - O Governo Federal garantiu nessa terça feira (08) a redução do contingenciamento da verba da Polícia Rodoviária Federal que estava prometido como sendo de 44% para 33%, uma diferença de 11%. O anúncio foi feito durante audiência pública realizada pela Comissão de Viação de Transportes da Câmara dos Deputados, que debateu os cortes no orçamento da PRF.

“Dentro dessa conjuntura de restrição fiscal para liberação de novos limites, a gente tem que se adequar. Essa época obriga os gestores a priorizar políticas públicas. O que tem hoje definido é que houve uma revisão do valor contingenciado e tentaremos amenizar esse problema”, explicou David de Lima Freitas, coordenador-geral de Orçamento e Finanças da Subsecretaria de Planejamento e Orçamento do Ministério do Planejamento.

A audiência foi realizada por solicitação da deputada federal Christiane Yared (PR-PR), que reivindicava a reposição dos valores à entidade e reconheceu a boa vontade governista. “O Governo entendeu nosso pedido, porque estamos todos do mesmo lado na busca por um país melhor. Essa reunião foi importante para trazer soluções e abrir os olhos para tantos questionamentos. Esses policiais são heróis que doam a vida para salvar o próximo, temos que oferecer uma estrutura digna de trabalho”, afirmou Yared.

No início de julho de 2017, o Governo Federal aprovou um orçamento 44% menor que o solicitado pela Polícia Rodoviária Federal. Com menos dinheiro em caixa, o prejuízo chegou para operações básicas, como o abastecimento das viaturas.

“Apenas em julho deste ano reduzimos o patrulhamento com as viaturas em dois milhões de quilômetros. É um trecho enorme que fica sem nossa fiscalização. Também ocorreu a queda da fiscalização com bafômetro em 25% e aumento em 550% dos assaltos a ônibus”, listou Marcelo Azevedo, diretor jurídico da Federação Nacional da PRF.

 

COMENTÁRIOS