10/10/2017 14:50:00

DRAG CULTURE
Por que Guarapuava merece um show da Pabllo Vittar?
Crescimento do cenário drag abre espaço para show do artista na cidade


(Foto: Marcos Ferreira/Brazil News/Divulgação)


Pierre Míchel

Guarapuava - Se você está vivo, ou simplesmente existe, com certeza nos últimos tempos já ouviu o nome Pabllo Vittar. A drag queen brasileira de 22 anos, que acaba de conquistar o topo do Spotify Brasil com o seu álbum de estreia, já tem parcerias com artistas como Anitta e Diplo e um Rock in Rio no seu currículo, além do título de drag mais seguida do Instagram.

Não à toa, seu sucesso vem chamando a atenção de todo o país. Com participações em programas tradicionais da TV brasileira e música confirmada na próxima novela do horário nobre, Pabllo está abrindo espaço para o drag culture em solo nacional.

O movimento drag, que por muito tempo viveu no underground LGBT, começou a ganhar mais força com a estreia do reality show americano RuPaul’s Drag Race, em 2009, e hoje é muito bem representado pela dona do hit 'K.O' aqui no Brasil.

Claro, temos muitos nomes legais e importantes por aí, mas é pelo trabalho e carisma de Pabllo que vemos estes grandes artistas e performers ganhando mais visibilidade. E se você acha que Guarapuava é muito conservadora para tudo isso, podemos provar que você está enganado.

Nos últimos anos a cena LGBT da cidade está mais ativa, e além da militância, vemos uma cultura mais colorida em Guarapuava, sobre tudo, com festas que dão espaço para as pessoas se sentirem à vontade para serem elas mesmas e abrem os palcos para artistas, que como Pabllo, não se limitam ao gênero.  

A Put4 Festas, já conhecida por muitos, é destes espaços desprendidos de preconceitos. A festa que existe há 2 anos em Guarapuava é, segundo um dos seus organizadores, Matheus Pontarolo, uma oportunidade para que a comunidade LGBT se sinta livre. Além da Put4 Festas proporcionar este lugar seguro para o público, ela também incentiva drag queens da cidade à performarem em seus eventos.


(Fotos: Thomas Ericson/Reprodução)

Ainda segundo Matheus, a ideia é que cada vez apareçam mais artistas e que este cenário realmente cresça.

“É muito legal quando, depois das festas, as pessoas chegam e agradecem pela oportunidade. Nós conseguimos ver essas drags chegando muito longe e isso é o que faz valer a pena”.

Ainda sobre a aceitação do público, Matheus comenta que as pessoas se divertem muito com as performances.

“Muitas pessoas vêm para a festa justamente pelas performances, a aceitação é muito grande. É o nosso diferencial e é muito bom ver as pessoas comprando esta ideia”.

Lucas Zanona, de 23 anos, dá vida à Lorena Thunder, drag que é figura carimbada nas festas da cidade há quase dois anos e nos conta sobre a satisfação de se apresentar com a sua personagem.


(Fotos: Thomas Ericson/Reprodução)

“Estar no palco é uma realização para mim, é onde eu tento mostrar para as pessoas a importância da diversidade que tudo seria muito chato e muito ruim se todos fôssemos iguais”. E ele completa: “Nossa luta está ficando mais forte, as pessoas estão começando a ver com outros olhos este universo”.

Por essas e outras podemos dizer que Guarapuava merece sim um show de Pabllo Vittar. Quando vemos que até as nossas drags locais agradam e atraem o público, é possível imaginar o quão bem recebida seria a nova diva dos charts nacionais. E melhor ainda é ver que o preconceito está perdendo espaço e o respeito ganhando os palcos.

COMENTÁRIOS