12/03/2017 17:00:00

POLÊMICA
Liga lança campanha pela valorização do futebol amador
Presidente da entidade diz que pelo menos 390 cidades do PR têm estádio melhor que o de Guarapuava


Dirceu Pato (Foto/arquivo)


Da Redação

Guarapuava - A Liga de Futebol de Guarapuava, presidida por Dirceu Pato, lança uma campanha pela valorização do futebol amador no município. “O futebol precisa de luz” é o slogan que circula entre os desportistas, a partir do perfil da entidade em redes sociais. A tradução é simples e está explícita no lema: a falta de um estádio municipal compatível com a importância da modalidade. “O Paraná possui 399 cidades, das quais pelo menos 390 possuem estádios de futebol decentes, iluminados, melhores daquele que há em Guarapuava”, em área anexa ao Ginásio de Esportes Joaquim Prestes, o Joaquinzão.

Segundo o presidente da Liga, o município possui sete agremiações esportivas e oito campeonatos no decorrer do ano, movimentando, não apenas os atletas, mas as suas famílias. “Temos presenciado o descrédito de algumas gestões passadas do nosso Executivo que simplesmente virou as costas aos clubes amadores". Segundo Dirceu Pato, o futebol de campo surgiu para movimentar o intercâmbio de associações e clubes, com campeonatos e jogos, que acolhem uma quantidade expressiva de atletas e torcedores. 

Inicialmente, a campanha está sendo desenvolvida pela Internet, no corpo a corpo entre dirigentes de clubes e atletas, mas deverá ter novos desdobramentos. “Estou falando do que é reivindicado pelas equipes, que é a necessidade, em caráter de urgência, que essa discussão seja feita”. De acordo com o presidente da Liga, vereadores serão interpelados para que gestionem junto ao secretário municipal de Esportes, Pablo Almeida e junto ao prefeito Cesar Silvestri Filho, a construção de um estádio a altura da importância que o futebol de campo merece. “Os vereadores sabem que somos contribuintes, não palhaços, e que merecemos ser ouvidos. O secretário, que é mestre e doutor, deve entender a falta que este espaço nos faz. Caso contrário, que jogue fora esses diplomas”.

A revolta de Dirceu Pato é porque, segundo ele, o futebol de campo, nos últimos anos, depende de estádios particulares para a realização de campeonatos. “O poder público sempre assistiu isso na normalidade, mesmo quando houve a venda do Estádio Lobo Solitário, não aconteceu movimentação nenhuma, Hoje corremos o perigo de outras entidades perderem seus espaços físicos, seus estádios, também para a especulação imobiliária. Por isso, precisamos de luz para o nosso futebol”.

A RedeSul de Notícias procurou o secretário Pablo Almeida, mas não obteve retorno.

COMENTÁRIOS