11/09/2017 15:04:00

TECNOLOGIA
Vereadores querem o fim de charretes e carroças pelas ruas de Guarapuava
Proposta é implantar, no futuro, o "Cavalo Elétrico" na cidade


Flagrante da reunião entre vereadores e a equipe da Actus (Foto: Reprodução)


Da Redação, com assessoria 

Guarapuava - Os vereadores Aldonei Luis Bonfim (PDT), Danilo Dominico (PSD), Germano Toledo Alves (PR), Pedro Luiz Moraes (PRB) e Guto Klosowski (PHS) reuniram-se com a equipe da Actus Engenharia e Consultoria, empresa Junior da UTFPR (Universidade Tecnológica Federal do Paraná), para discutir o projeto de criação e futura implantação de um meio de transporte batizado de “Cavalo Elétrico”. O veículo substituiria carroças e charretes que utilizam a força animal para locomoção e transporte de cargas. Estes meios de transportes ficariam proibidos no perímetro urbano do município.

“A ideia é aprovarmos a lei que proíbe o uso de veículos de tração animal na cidade e, em seguida, implantar este meio de transporte que chamamos de cavalo elétrico. Não queremos apenas acabar com o sofrimento e maus tratos dos animais. Queremos também garantir o trabalho das pessoas que utilizam carroças para coleta de recicláveis e qualquer tipo de carga”, explica o vereador Aldonei Bonfim, conhecido como “Dognei” pelas décadas de dedicação a causa animal.

Conforme Dognei, o objetivo é conseguir patrocínio para a construção de um protótipo do “Cavalo Elétrico", que será apresentado aos empresários que poderão participar do projeto. “Esta semana nós temos uma reunião com um empresário de Guarapuava. O custo para a construção do “Cavalo Elétrico” é de cerca de R$ 6 mil. Essas pessoas que usam a tração animal como meio de sobrevivência não podem ser sobrecarregadas com este custo. Por isso, primeiro estamos buscando uma alternativa viável, para depois proibirmos o uso da tração animal na cidade”, explicou Dognei.

Danilo Dominico celebrou a parceria de vereadores e empreendedores na causa. “É uma honra ser convidado pelo Dognei para fazer parte do projeto. Acredito que os demais vereadores pensam o mesmo. Só temos a agradecer a equipe da Actus. Particularmente, como ambientalista, fico muito feliz com um projeto nestas proporções”, destacou o vereador. Germano Alves acredita que Guarapuava só tem a ganhar tornando a iniciativa realidade. “A cidade seria pioneira neste projeto, tirando os animais das ruas, colaborando com o meio ambiente. Sairia do comum. É muito importante somar forças e buscar recursos para que saia do papel”, disse o vereador durante o encontro.

ENTENDA O PROJETO

O “Cavalo Elétrico” tem o objetivo de retirar os cavalos que são utilizados em veículos de tração animal para coleta de materiais recicláveis e outras cargas na área urbana do município. A intenção é deixar estes animais em locais adequados, evitando maus tratos, e ao mesmo tempo não prejudicar as famílias que utilizam deste meio de transporte para o sustento. “Queremos uma alternativa viável. Retirar os animais, mas também garantir que os operadores ecológicos tenham uma opção para a coleta. Por isso pensamos em um veículo 100% elétrico sem a emissão direta de poluentes para a natureza”, explica Erich Bramigk, diretor presidente da Actus Engenharia e Consultoria. Posteriormente, a intenção do projeto é estender o benefício para operadores ecológicos que utilizam carrinhos manuais, sendo substituídos por carrinhos de locomoção elétrica.   

PROIBIÇÃO DE TRAÇÃO ANIMAL

Os vereadores pretendem entrar com Projeto de Lei Ordinária que proíbe, no perímetro urbano do município, a utilização de veículos com tração animal. O objetivo principal é prevenir maus tratos aos animais e riscos de acidentes no trânsito com utilização de carroças e charretes. É aí que entraria o “Cavalo Elétrico” para garantir o trabalho de populares que utilizam a tração animal para transporte de recicláveis e outros tipos de cargas. A possível lei não interfere em eventos esportivos, culturais ou atividades agrícolas que utilizam animais. 

 

COMENTÁRIOS