14/03/2017 11:15:00

IMPASSE
Apesar de apelo, APP confirma greve para esta quarta (15)
Reunião realizada nessa segunda (13) não evoluiu para que não ocorra a paralisação


Reunião foi realizada na tarde dessa segunda (13) (Foto: Assessoria)


Da Redação, com assessorias

Curitiba - A APP-Sindicato já anuncia como certa a paralisação dos professores e servidores estaduais da Educação a partir desta quarta (15), apesar das tentativas do Governo do Estado em evitar a greve geral.

O pedido do Governo foi feito durante reunião na tarde dessa segunda (13), no Palácio Iguaçu, entre o chefe da Casa Civil, Valdir Rossoni, a secretária da Educação, Ana Seres, os 32 chefes dos Núcleos Regionais da Educação e dirigentes sindicais.

Rossoni disse que o Estado não tem como avançar na pauta corporativa e demonstrou o esforço que o Governo está fazendo para valorizar o magistério. Ele lembrou que nos últimos seis anos a categoria teve reajuste salarial da ordem de 146%, enquanto a inflação do período (IPCA) foi de 49%, e que em janeiro foram implantadas as promoções e progressões para a categoria.

AVANÇOS 

A secretária Ana Seres destacou outros avanços da educação, como a liberação para cursos de mestrado e doutorado sem perda de salários, além de investimentos em infraestrutura, como o Programa Escola 1000, lançado no ano passado, que liberou R$ 100 milhões para obras em mil escolas.

Durante a reunião também foi informado que serão lançadas as faltas dos servidores (professores e funcionários) que aderirem à paralisação a partir do dia 15, quarta feira. “O Governo será irresponsável se assumir compromissos que não podem ser cumpridos. Este é um posicionamento que não vai mudar com a greve”, disse Rossoni. 

APP SEGUE PAUTA DE GREVE

Por outro lado, a APP-Sindicato afirma que a reunião com Rossoni e com Ana Sere, no final da tarde dessa segunda (13), teve como objetivo reafirmar a pauta e solicitar ao governo que suspenda a decisão de diminuir a hora-atividade dos professores. A entidade também alertou sobre a falta de funcionários nas escolas, sobre os malefícios da judicialização dos itens resolução da distribuição de aulas, entre outros temas. A reunião aconteceu no Palácio Iguaçu e contou com os secretários e chefes dos Núcleos Regionais de Educação (NREs) de todo o Estado. A APP já havia notificado o governo sobre a decisão de greve por tempo indeterminado a partir desta quarta (15) e aproveitou a conversa para solicitar uma nova reunião com o governo no dia 15.

“Estamos fazendo o máximo para manter o diálogo, para reafirmar a necessidade de um debate pacífico, positivo, que restaure, nas escolas, o clima necessário para o processo de ensino e aprendizagem.”, enfatizou o presidente da entidade, professor Hermes Silva Leão. Segundo ele, em seu discurso, mais uma vez Rossoni reafirmou as medidas de austeridade do governo, além de ameaçar a categoria. Para Hermes, o momento não é de fraquejar. “É importantíssima a participação da nossa categoria na greve, no ato estadual do dia 15, para garantir, através da mobilização, a resistência contra a retirada de direitos”, afirmou. Além do presidente, representaram a APP a secretária de Funcionários, Nádia Brixner, a secretária Geral, Vanda do Pilar e o deputado estadual Professor Lemos.

 

COMENTÁRIOS