14/10/2017 22:27:00
Ainda estou com indigestão!


João Doria (Foto: Reprodução)


A proposta é para matar a fome dos pobres que vivem na capital paulista, mas confesso que ainda não consegui digerir e me causou indigestão o programa lançado pelo prefeito João Doria, no domingo (08).

A população de baixo ou sem nenhum poder aquisitivo, a maioria sobrevivendo abaixo da linha da miséria, receberá uma espécie de ração feita com alimentos cuja validade está prestes a expirar. Portanto, tudo o que seria descartado pelo comércio e indústria será processado, sendo transformado numa espécie de granulado, que será colocado nas cestas básicas distribuídas pelos Centros de Referência em Assistência Social, os CRAS.

Se para Doria, o programa vai combater o desperdício de alimento e garantir nutrição a quem depende das doações de comida por parte da Prefeitura, para o Conselho Regional de Nutrição, a iniciativa fere os princípios do Direito Humano à Alimentação Adequada e o Guia Alimentar, documento referência do Ministério da Saúde sobre alimentação.

O programa de Doria contraria, portanto, o tudo que se prega em relação a uma alimentação saudável, dizendo “não” aos alimentos ultraprocessados ou liofilizados - aqueles que os astronautas consomem - , e incentivando as pessoas ao consumo de alimentos in natura.

Pesquisadora da Faculdade Medicina da Universidade de São Paulo (USP), a nutricionista Renata Levy, reagiu e em entrevista à imprensa declarou ser contra o programa.

"Acho uma coisa inaceitável. A cidade mais rica do país, onde tem o guia alimentar da população reconhecido pelo mundo inteiro e que preconiza o consumo de alimentos, alimentos mesmo, alimentos in natura, lançar um programa onde pretende disponibilizar para a população mais pobre do país um alimento que não tem a menor qualidade, ultraprocessado, ou seja, a população vai estar consumindo uma coisa que ela não tem ideia do que contém. Eu acho assustador. Acho um retrocesso assim, quase 15 anos da política de alimentação desse país." 

Os empresários que doarem a matéria-prima para a ração serão beneficiados com isenção de impostos e benefícios econômicos; o prefeito fará suas aparições midiáticas dizendo que está erradicando a fome na capital da megametrópole e o povo, coitado, tomara que não tenha a indigestão que estou sentindo agora.

Sobre o Autor

Cristina Esteche é jornalista, publicitária e fundadora da Rede Sul de Notícias.