18/05/2017 13:51:00
O cachorro, o portão e os novos governantes



Tive um cão, um ser multicolorido e independente, que tinha o sonho de sair pelo portão de casa e correr pelo mundo, avançando em tudo e em todos que cruzassem sua frente. Ao menos essa sempre foi sua grande vontade, sua luta e sua expectativa.

Um dia, o portão de casa ficou aberto e meu cão saiu. Todos ficaram desesperados, pois ele fazia pose que seria um verdadeiro monstro à solta.

Que nada. Em poucos minutos lá estava ele, de orelhas baixas, sentado em frente ao portão, implorando para voltar para casa. Ele queria tanto sair, correr e avançar, que sua vontade virou frustração, pois não sabia o que fazer ou como agir lá fora, no mundão.

Assim alguns governantes municipais estão se provando despreparados para o exercício da função pública.

Queriam tanto, mas tanto chegar ao poder, que esqueceram de uma parte fundamental: TÊM COMPETÊNCIA PARA ADMINISTRAR UM MUNICÍPIO?

Esses maus administradores chegaram ao poder a qualquer custo, e agora estão lá, sentados em frente ao portão, de orelhas baixas, sem saber o que fazer, com cara de frustração.

Em poucos meses, as falhas administrativas se avolumam e estão tomando corpo. Logo, a Justiça entra em ação e a frustração se vira para o povo, que caiu na ladainha desse falso bom administrador.

COMENTÁRIOS



Sobre o Autor

Rogério Thomas, jornalista, pós graduado em Ciências Políticas.
Contato: rogeriothomas@ibest.com.br
Facebook: http://facebook.com/rogerio.thomas3