22/04/2017 16:48:00
O ar era outro, era outra a cor azul do céu

Daquela vez que visitei seu coração me vesti com a mais sublime das intenções, aspergi o perfume extraído das essências da vida, calcei meu sapato de andar léguas dentro dos sentimentos, deixei meu cabelo ser penteado pelo vento de maio, e juntei para o buquê todas as flores que coloriam minha caminhada.  E quando adentrei seu coração, quanta felicidade! O ar era outro, era outra a cor azul do céu. Era como se o mundo inteiro com todo seu leque de cores e alegrias tivesse estendido faixas de boas-vindas, e todas as orquestras entoassem seus concertos mais vibrantes, todos os corais divinos vocalizassem as músicas mais tocantes, todo o tempo que vivi voltava ao início e eu podia então amar e reamar como da primeira vez, com tamanha intensidade e indizível emoção. Resumindo: é isso que dá ser sensível, viaja-se pelo mundo sem mapa só orientando-se pela estrela paixão.

 

COMENTÁRIOS



Sobre o Blog

Mauro Biazi, jornalista, escritor e fotógrafo. Autor de 14 livros, entre textos/poesias/biografia/crônicas/imagens. Contribui com sua modesta escrita desejando despertar o leitor sobre temas que falam de perto a todos: vida, amizade, natureza, gratidão, amor, planeta, realidade...