31/10/2017 17:01:00

REFLEXÕES
Chimarreando só
Professor, caipira, cronista e bebedor de café.



(i) EM TODA E QUALQUER MULTIDÃO QUE paire uma névoa de unanimidade, dificilmente encontraremos algo que não seja alguma forma, refinada ou bruta, de estultice. Do mesmo modo, dificilmente encontramos algo nos grupelhos histéricos, politicamente engajados, que divergem de tudo e de todos, que se assemelhe com um mínimo de bom senso. Enfim, seja como for, é somente na solidão de nossa consciência individual que podemos dar testemunho da verdade sobre algo e, principalmente, sobre nós mesmos.

(ii) SE UM SUJEITO DEPRAVADO DIZ UM PUNHADO de verdades, a imoralidade do caipora não revoga a veracidade do que fora dito por ele. Saber fazer essa sutil distinção evidencia a tal da capacidade de discernimento. Ignorá-la é prova de pura e simples leviandade.

(iii) A FOFOCA É O TIMBRE DISTINTIVO DAS ALMAS LEVIANAS. Essas acabam guardando, silentes, em seus corações, todo ódio e rancor que sentem por algo ou alguém e, quando aparece no horizonte uma centelha de maledicência, que passa a ser espalhada de modo incauto pelos quatro ventos, de imediato se agarram a ela como se tal gesto fosse uma espécie de galardão de sapiência ou, como gostam de dizer, de criticidade.

(iv) O APELO À CALÚNIA É A ÚNICA ARMA daqueles que não se esmeram em procurar a verdade acima de qualquer coisa.

(v) SÓ PRA CONSTAR: VELAS APAGADAS não chamam mariposas da mesma forma que lâmpadas queimadas apenas regozijam-se levianamente com toda ordem de futricas.

(vi) EM MOMENTOS TENEBROSOS, QUANDO a correnteza da desesperança abala os alicerces da sociedade presente, urge que voltemos nossos olhos, com seriedade e serenidade, para o passado de nossa sociedade para resgatarmos nossa ligação com a humanidade.

(vii) É IMPOSSÍVEL COMPREENDERMOS A REALIDADE presente sem o devido estudo da dita cuja da História. Detalhe: estudá-la para obter a tal da compreensão histórica não significa decorar criticamente um amontoado de locares comuns com alto grau de infecção ideológica. Não mesmo. Significa, sim, muito esforço intelectual e uma abertura abnegada para possíveis defrontações com inevitáveis surpresas que, em muitíssimos casos, contrariam tudo o que temos por certo. Outro detalhe: conquistar a tal compreensão em profundidade não significa que estamos autorizados a absolver os desajustes presentes e passados. Significa apenas que teremos uma visão mais profunda e clara do tamanho do enrosco que nosso país acabou se enfiando.

(viii) RELATIVIZAR TODOS OS VALORES E BENS culturais é o primeiro passo dado pelos medíocres que, por sua natureza, não medem esforços para excluir tudo aquilo que é bom, belo e verdadeiro de seu horizonte de percepção para que, desse modo, mais facilmente possam impor o disforme, tão quisto por eles, como um novo padrão de beleza, bondade e verdade.

(ix) TÃO PÉRFIDOS E ABJETOS QUANTO os carniças que se dedicam noite e dia a disseminar futricas e calúnias levianas são os filhos duma égua que se regozijam lendo-as e ouvindo-as.

(x) REZEMOS UNS PELOS OUTROS PARA QUE DEUS, em sua infinita misericórdia, não nos deixe esmorecer e cair diante dos desafios e obstáculos com que nos defrontamos em nossa caminhada por esse vale de lágrimas.
 

COMENTÁRIOS



Sobre o Autor

Cristão católico por confissão, caipira por convicção, professor por ofício, poeta por teimosia, radialista por insistência, palestrante por zoeira, escrevinhador por não ter mais o que fazer e bebedor de café resoluto.