A reforma de Ratinho Júnior nas mãos dos deputados

Ratinho Júnior (Foto: Geraldo Bubniak/AGB)

A semana começa com decisões importantes na Assembleia Legislativa do Paraná. Segundo anúncio feito pelo presidente Ademar Traiano (PSDB), nesta terça (19), os deputados que compõem a Comissão começam a apreciar a reestruturação administrativa do Governo, proposta pelo governador Carlos Massa Ratinho Júnior (PSD). A matéria tramita na Comissão de Constituição e Justiça (CCJ), que conta com a participação da deputada Cristina Silvestri (PPS).

Esse será o primeiro passo para que a proposta seja debatida pelos demais deputados em plenário, já que depois de tramitar pelas comissões permanentes, será colocada na pauta de votações, o que deverá acontecer em março.

A matéria, entretanto, entra na Alep num momento político fragilizado, que teve início com declarações do deputado Plauto Miró Guimarães (DEM) e que traz à tona a disputa pela interna por cargos de direção na Casa, e segui com uma delação fora de tempo contra o secretário chefe da Casa Civil, Guto Silva, que teria recebido R$ 100 mil em dinheiro de propina do pedágio, segundo o delator Nelson Leal, ex-DER. Guto nega.

Porém, o que chama a atenção é o fato de o governador inovar ao dar tempo para que os deputados analisem a proposta de mudança, sem pedir o regime de urgência na apreciação da matéria que, além de reduzir a máquina administrativa, fará mudanças na estrutura governamental do Paraná.

O governador quer, inicialmente, o corte de 13 das atuais 28 secretarias e de 313 cargos, garantindo, segundo o Governo, uma economia anual de R$ 10,5 milhões. A meta, porém, é promover outras duas etapas de mudanças, e chegar a uma redução anual de R$ 30 milhões.

Mas ao mesmo tempo em que corta gastos, o Governo cria superintendências gerais. Uma delas, a que substitui a Secretaria de Ciência Tecnologia e Ensino Superior, terá o reitor da Unicentro, Aldo Bona, como o titular. Segundo a proposta, poderão ser criadas, por decreto, até 12 superintendentes gerais.

Com uma bancada governista possuindo a maior fatia da composição da Alep, o governador, com certeza, não terá problemas em aprovar a nova estrutura de Governo no Paraná.

Comentários