Abrace com determinação e de a mão a disciplina

Quando eu tinha 11 anos, meu sonho era ser policial. Eu assistia as reportagens de jornais acerca da atuação da Polícia Federal e isso me “saltavam aos olhos”. Ver a atuação dos policiais – todos armados – era fascinante, deixava-me entusiasmado. Eu ficava imaginando que um dia eu vestiria aquela roupa de Policial Federal, andaria naqueles carrões “escuros” com arma de fogo e utilizaria o meu distintivo policial.  De fato, sem dúvida, o que despertara em mim, já era o desejo de sonhar, aliás, a vontade da conquista.

Do desejo de sonhar, depois de algum tempo, despertou em mim a sede pela conquista. Eu sabia que apenas sonhar não era suficiente – essa “ficha” demorou a cair -, enfim, era necessário que eu conquistasse o meu sonho, ou seja, que eu o colocasse em prática.  O sonho e a realidade são coisas distintas, pois, a ação de colocar em prática é, sem dúvida, o que o levará a realidade e, por consequência, a realização do seu sonho.

Nessa busca pela realização eu aprendi que a determinação e a disciplina são palavras chaves indispensáveis quando se deseja conquistar um objetivo.  Em qualquer área de nossa vida, não logremos êxito, se não houver muita determinação e disciplina. A determinação e a disciplina são como tecidos que compõe os nossos projetos de vida. É como se elas fossem, também, as nossas veias por onde percorrem o nosso sangue. São a base, a linha, a via e o caminho para a realização do nosso sonho.  O filósofo Aristóteles, em seu livro Ética a Nicômaco, menciona que “A disciplina representa uma qualidade da alma; é a vitória da razão, a única possibilidade de uma pessoa realizar seus sonhos.”, pois, ele afirma que “Somos o que repetidamente fazemos, forjamos o caráter nas atividades diárias, e estas construirão nosso destino”.

No entanto, a indisciplina causa frustração e desânimo futuro. Logo, sobre o argumento da “falta de tempo”, nos tornamos reféns de um mero “sonho” que nunca se tornará realidade, aliás, de algo que nunca sairá do “papel” ou de nossa mente.  Assim, seria mesmo, a indolência do mau falando aos nossos ouvidos e dizendo: “Ah! Depois você faz…”, “Não vai fazer agora! deixa pra depois…”, “Agora não dá! você está cansado…”.  Essa acomodação nos faz desacreditar que somos capazes. Ela nos torna, ainda, cada vez mais distante da realização. Logo, nos faz acreditar, piamente, que seja impossível de ser realizado.

Deixemos nossas “desculpites” amarradas e sigamos abraçados a determinação e de mão dadas com a disciplina, até que o nosso sonho se torne realidade. Não vamos dar ouvidos a tal “falta de tempo”, pois, o que nos falta, de fato, é a priorização por aquilo que nos interessa no momento. Priorizemos aquilo que nos levará a realização do nosso sonho e isso se tornará realidade!

Assim, mais importante que apenas sonhar é executar – colocar em prática agora – e, apenas, a constância no objetivo é que nos levará ao êxito.

Comentários