Balanço do ano no Reino de Santa Cruz

Resumindo, o ano não foi nada bom no fantasioso Reino de Santa Cruz, isto para não dizer que ele foi trágico!

Tal qual uma guerra civil, a doença que assolou o mundo todo, ceifou milhares de vidas por lá também. Todavia, enquanto que em outros reinos, muito mais antigos e desenvolvidos que Santa Cruz, o flagelo viral é tratado tecnicamente como um problema de saúde, o rei, os duques, magistrados e alcaides de Santa Cruz transformaram a peste covidiana em um campo de batalha onde as forças são medidas, alianças são formadas e desmanteladas ao sabor de meras ideologias vãs. Entretanto, sobre isto muito já se tem noticiado em todos os jornais importantes do reino, que discordam entre si sobre quase tudo, todavia, parecem estar unidos entre si para derrubar o Rei Kaptein I (sim, o rei mudou de nome de novo…).

Santa Cruz é um reino que sempre viveu com um medo latente de viver subjugada (e por vezes viveu) sob uma ditadura, seja ela militar ou do proletariado. Acontece que, enquanto os poderes executivo e legislativo digladiavam entre si na guerra do covid, os arquiduques togados assumiram o poder já que, com seus cargos quase que vitalícios, estão enfronhados no poder a mais tempo que quaisquer outros nobres da corte. Os 250 artigos da Carta Magna de Santa Cruz, que deveriam ser defendidos e cumpridos à risca por esta nada parcial corte, são interpretados de acordo com os interesses do momento e o caos jurídico só não está pior por que, para sorte dos santa-cruzenses normais, os membros de tão douta casa não concordam entre si, já que foram alçados a este posto por diferentes reis nestas últimas décadas. Desta forma, o reino de Santa Cruz se tornou uma ditadura da magistratura, que está definindo os rumos do reino e o Rei, considerado pela militância política como um ditador sanguinário, assiste a tudo direto do Palácio do Amanhecer, gastando quase todo o seu tempo tentando resolver os imbróglios que suas falas (e de seus descendentes varões) provocam nos meios políticos.

Por pouco os ditadores de toga não rasgaram algumas folhas da Carta Magna (talvez para utilizar como papel higiênico) e quase reconduziram ao poder os chefes da Casa dos Comuns e da Casa dos Lordes em uma verdadeira afronta a tudo o que ainda sobra de sério neste reino tão, tão próximos de nós.

E o ano no Reino de Santa Cruz termina de maneira melancólica com a notícia de que o Ex-Rei Embriagado I, viajará, apesar de condenado pela justiça, para uma paradisíaca ilha caribenha onde uma ditadura comunista perdura por apenas 59 aninhos para gravar um documentário sobre, pasmem, DEMOCRACIA!!! (por favor não riam, esta é uma informação verdadeira).

Qual é a chance de tudo melhorar em 2021?

Comentários