Cida nega aproximação com Requião, diz Beto Richa

Beto e Cida em Prudentópolis

Blogs estaduais falam sobre uma possível aproximação entre a governadora Cida Borghetti (PP) e o senador Roberto Requião (MDB) nos últimos dias. Se isso acontecer, o ex-governador Beto Richa (PSDB) estaria sendo preterido pela sua companheira de Governo, afinal, Cida foi vice de Beto, de quem herdou o governo.

Porém, em Prudentópolis, nesse domingo, quando a governadora anunciou liberação de recursos e assinou convênios, Beto Richa foi lá. Chegou um pouco atrasado, mas foi. Em conversa com esta jornalista, o ex-governador disse que a primeira coisa dita a ele quando chegou foi justamente sobre esse assunto. “ A governadora disse que tudo não passa de boatos e que encontrou com Requião em um único evento, que foi de rádios comunitárias, e que nem conversaram”, disse Richa.

Entretanto, por conta dessas possíveis especulações, o vereador mais votado pelo MDB do São José dos Pinhais nas últimas três eleições, Ido Lunelli, em nota, torna público o seu descontentamento e assume a campanha de Osmar Dias ao Governo do Estado.

“Reafirmo aqui meu apoio incondicional ao projeto que levará Osmar Dias ao governo do Paraná, não abro mão disso sob nenhuma hipótese, Osmar é de longe o nome mais preparado para colocar novamente nosso estado no rumo do desenvolvimento”, disse.

Bem, caso se confirme essa aproximação entre o PP e o MDB, começa a se desenhar uma mudança no cenário político paranaense. Afinal, o MDB já muda de posição ao se afastar de Osmar, e sugerir a criação de uma Comissão formada por deputados e membros da Executiva, para dialogar com partidos e pré-candidatos ao Governo do Estado.

Entretanto, há quem aposte que Ido foi o primeiro e que puxará prefeitos e outros vereadores nessa mudança de postura política.

Quanto a Ratinho Júnior e Osmar Dias, que lideram as intenções de votos, também estão na mira dos medebistas. Requião Filho diz, em nota, que a aliança com o PDT não está descartada, mas que o partido avalia a possibilidade de tomar outro rumo.

Beto, que está sendo alvo de problemas judiciais, diz que segue tranquilo, que cumpriu a sua missão no Governo e tem como principal bandeira o ajuste fiscal que, segundo ele, colocou as finanças do Paraná em ordem, possibilitando liberações de recursos e assinaturas de convênios, muitos dos quais, iniciados anteriormente, como é o caso do programa de regularização fundiária.

Bem, caso as especulações se confirmem, o desenho do cenário eleitoral deste ano começa a  mudar no Paraná. Mas como o tempo ainda é de costuras e de troca nas estratégias de bastidores, só resta ficar antenado e esperar para ver.

Comentários