Covid x Brasil x Guarapuava

No dia 14/12 de 2020, o número de óbitos por Covid-19 no Brasil passou da marca de 180 mil mortos, em uma crescente de uma segunda onda de infecções. Tivemos nessa data a maior média móvel de contaminados desde agosto, com mais de 41 mil infecções diárias, o que indica que a pandemia está longe de acabar[1]. Já em Guarapuava, nesta data o número de óbitos chegou a 46, entre 3800 pessoas que se infectaram. Além disso, Guarapuava está batendo os recordes de infecções diárias, tendo no dia 08 de dezembro, alcançado a marca de 132 infecções diárias[2].

Gostaria de fazer aqui uma comparação, com o objetivo de tentar ilustrar o quão trágica é a perda dessas mais de 180 mil pessoas. A comparação é entre o número total de mortos no Brasil e a população total de Guarapuava que, segundo estimativas do IBGE, em 2020, totaliza 182 mil habitantes[3]. Se todas as mortes por covid do Brasil estivessem concentradas em uma única cidade, como Guarapuava, isso quer dizer que literalmente toda a população do município teria desaparecido. Nesse caso, você e todas as pessoas com quem você convive diariamente, estariam mortas. Desde o motorista do ônibus, a senhora que precisa do assento preferencial; Do seu vizinho àquele amigo que você não visita a muito tempo; e dos seus filhos a seus pais e avós.

A revista Folha Piauí disponibilizou uma ferramenta que nos permite realizar exatamente essa comparação que fiz anteriormente, com qualquer local do país, para nos auxiliar a visualizar quão grande é a tragédia brasileira[4]. Por exemplo, se todas as mortes por covid fossem em Guarapuava, toda a população em um raio de 24 quilômetros sumiria do mapa, como pode ser visto na ferramenta da revista Folha Piauí.

Um grande problema de estatísticas é que elas desumanizam, quando falamos em 180 mil mortes por covid, lidamos apenas com um número, com uma escala em um gráfico. Isso torna muito fácil esquecermos que cada um desses números é uma pessoa, com seus próprios sonhos e paixões, que tem uma família, amigos e pessoas que o amam. É preciso lembrar constantemente que cada número que aumenta nas estatísticas é uma pessoa que perdeu a vida, uma pessoa de carne e osso e não só um número.

A comparação que propus aqui é para que possamos visualizar melhor o quão importante é lembrarmos que não se trata só de números. Talvez você, leitor, com uma comparação com uma realidade mais próxima à sua, da sua vida cotidiana, possa imaginar o quão terrível é para as famílias e entes queridos de cada uma dessas pessoas que perderam a vida. As 180 mil mortes por Covid-19 no Brasil podem ser demonstradas em gráficos e comparadas em mapas, mas nada disso pode representar a dor de cada pessoa que perdeu um ente querido.

(*) André Luiz Lima Cardoso é graduado em filosofia pela Universidade Estadual do Centro-Oeste, mestrando em filosofia pela Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC).

Referências Bibliográficas:

https://g1.globo.com/bemestar/coronavirus/noticia/2020/12/12/casos-e-mortes-por-coronavirus-no-brasil-em-12-de-dezembro-segundo-consorcio-de-veiculos-de-imprensa.ghtml

https://piaui.folha.uol.com.br/lupa/epicentro/

https://redesuldenoticias.com.br/noticias/saude-de-guarapuava-confirma-100-novos-casos-de-covid-19/

https://redesuldenoticias.com.br/noticias/saude-de-guarapuava-confirma-mais-duas-mortes-por-covid-19/

https://cidades.ibge.gov.br/brasil/pr/guarapuava/panorama

 

[1]https://g1.globo.com/bemestar/coronavirus/noticia/2020/12/12/casos-e-mortes-por-coronavirus-no-brasil-em-12-de-dezembro-segundo-consorcio-de-veiculos-de-imprensa.ghtml

[2]https://redesuldenoticias.com.br/noticias/saude-de-guarapuava-confirma-100-novos-casos-de-covid-19/

https://redesuldenoticias.com.br/noticias/saude-de-guarapuava-confirma-mais-duas-mortes-por-covid-19/

[3] https://cidades.ibge.gov.br/brasil/pr/guarapuava/panorama

[4] https://piaui.folha.uol.com.br/lupa/epicentro/

Leia outras notícias no Portal RSN

Comentários