De tudo um pouco neste calor de quarta feira

O que temos neste final de quarta feira, dia 19 de dezembro, às 17h50, com um sol de rachar mamona, como diziam os mais antigos? Bem, na terra do Terceiro Planalto paranaense, Guarapuava, o dia não foi de notícias alvissareiras. Pelo contrário. As pautas policiais cooptaram, em maior número, a atenção do leitor. Tivemos mais um feminicídio; helicopteros sobrevoaram a cidade numa mega operação de combate ao tráfico de drogas; um jovem atenta contra a própria vida num edifício no Centro da cidade, numa tentativa de colocar um fim à sua dor; o prefeito Cesar Filho sofre acidente e está hospitalizado, entre tantas outras notícias que movimentaram o Departamento de Jornalismo do Portal RSN.

No cenário nacional, então…Bem, mas vamos aos fatos. A decisão do ministro do STF, Marco Aurélio em soltar presos condenados em segunda instância, tomada às vésperas do recesso, expõe Supremo Tribunal Federal (STF) e uma “queda de braço” entre o STF e Procuradoria Geral da República que já anunciou que entrará com recurso para anular a decisão do ministro. Este, por sua vez, reagiu e disse que “se o Supremo ainda for o Supremo, minha decisão tem que ser obedecida, a não ser que seja cassada”, afirmou ao blogueiro Valdo Cruz.A procuradora-geral da República, Raquel Dodge, acaba de recorrer da decisão de Marco Aurélio, pouco antes das 18h desta quarta feira. Durante coletiva, em Curitiba, o procurador Deltan Dallagnol, da força-tarefa da Lava Jato, também saiu contra a decisão do ministro.

“Entendemos que esta é uma decisão isolada, monocrática, que não vai resistir a uma análise do colegiado do Supremo. Estamos reiterando a confiança na instituição Supremo e que o Supremo vai reverter esta decisão em tempo hábil.”

Dados do Conselho Nacional de Justiça (CNJ) evidenciam que 169 mil pessoas podem ser beneficiadas pela decisão do ministro,

caso a decisão seja mantida. Porém, o principal alvo de toda essa parafernália é o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, preso em Curitiba, desde o dia 7 de abril deste ano.

Bem, a defesa do ex-presidente, entrou com liminar para que Lula seja colocado em liberdade ainda hoje. Mas enquanto isso não se resolve, grupos pró e anti Lula brigam em frente a sede da Polícia Fesderal, em Curitiba, onde o ex-presidente está preso desde o dia 7 de abril deste ano.

Enquanto isso não se resolve, o ex-deputado federal André Vargas, eleito pelo PT, e o primeiro sentenciado na Operação lava Jato, conquista a liberdade provisória e deixou o Complexo Médico Penal, em Pinhais, nesta quarta.

Lá pelos lados de Brasília, o presidente eleito se reuniu com os seus ministros e no exercício da Presidência da República, o presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), sancionou a lei que afrouxa a Lei de Responsabilidade Fiscal. Isso quer dizer que prefeitos estão livres do rigor da LFR e podem  ultrapassar o limite de gastos com pessoal sem sofrer punições se houver queda na receita.

Assim como Pilatos, o presidente licenciado Michel Temer, que está no Uruguai reagiu e em nota que a matéria foi sancionada enquanto ele estava em em reunião do Mercosul e que pretendia seguir a orientação das áreas técnicas do governo, ministérios da Fazenda e Planejamento, que defendiam o veto da matéria. Essa decisão poderia acontecer o dia 28 de dezembro. A decisão de Maia já foi publicada no Diário Oficial da União.

Numa breve retrospectiva deste dia, os principais fatos são esses. E enquanto o sol teima em dar os ares da sua força, com um calor de derreter o que for vulnerável a altas temperaturas e coloca ainda mais fogo debaixo do caldeirão político, só me resta ir pro encontro de confraternização da firma, o Portal da RSN, e aproveitar o calor humano da equipe que me acompanha nas lides jornalísticas.

Comentários