Farei de 2019 um ano melhor

Meu caro leitor, se você está lendo este artigo atraído pelo título é porque, provavelmente, está ao menos curioso para descobrir uma receita mágica de como melhorar a sua vida neste ano que se inicia. Desde já digo que ela não existe e, além do mais, nem tenho a pretensão de saber o que fazer para melhorar sua vida. Entretanto, ligado à filosofia como sou, costumo me munir de fatos lógicos para expor minhas opiniões e ilações.

Se você já é uma pessoa realizada, feliz e completa parabéns! Este texto será para você somente mais do mesmo.

Caso contrário, se você está no meu grupo, que é a esmagadora maioria de nós que procura um algo a mais, sigamos juntos tentando driblar as agruras deste caminho que devemos percorrer. De imediato digo que a palavra chave é MUDANÇA. Mudar em todo e qualquer aspecto. O gênio Albert Einstein disse certa vez que “Loucura é querer resultados diferentes fazendo tudo exatamente igual!” Quando digo igual devemos começar por esta série de promessas vãs que fazemos todo fim de ano de começar a dieta, de ir à academia, de viajar mais, de beber menos, de trabalhar mais e melhor, de gastar menos com futilidades, de falar mais com os amigos, de passar mais tempo em casa com a família, etc. Tudo isto é ótimo, mas em fevereiro já esquecemos a maioria das metas e sossegadamente aguardamos dezembro chegar de novo para nos enganar novamente.

Portanto, mudemos. Vamos sair do lugar comum e da zona de conforto. Dieta não se começa segunda. Dieta se começa hoje (se hoje for segunda, ótimo). Vamos parar de fumar hoje. Se você não faz atividades físicas, caminhe; se você já caminha, corra. Se você corre 10 Km, comece a treinar para uma maratona. Se você já corre, comece a nadar ou andar de bicicleta (ou os dois). Lembre-se sempre: Mens sana in corpore sano. Comece a ler mais, de preferência volte, ou continue, nos livros de papel (nada supera o folhear de página a página). Tente estudar uma nova língua. Estudos recentes comprovam os benefícios cognitivos de se aprender um novo idioma, inclusive a diminuição do risco de se ter Alzheimer ou demência senil. Fale mais com seus amigos. Falar é olhar nos olhos, é abraçar, é estar próximo. Dar bom dia pelo WhatsApp é bom, mas não conta. Lembre do aniversário sem ter que consultar o Facebook e vá até eles ou pelo menos ligue para que ouçam sua voz; aliás, amizade é muito mais do que só dar likes em fotos postadas. Renove seu guarda roupa. Não precisa gastar com isso. Doe ou coloque a maioria das roupas que você comprou e nunca usa no Brechó e, com o dinheiro, compre uma peça nova, mesmo que usada, que lhe agrade. Se você tem um emprego, qualquer que seja, o desempenhe com prazer. Não espere que seu chefe venha até você com a promoção ou o aumento desejado. Seja proativo, trabalhe melhor, seja leal, seja companheiro. No mínimo você terá mais prazer e mais resultados no dia a dia do seu trabalho. Se não está empregado, aprimore-se, estude o mercado e procure fazer a diferença na hora de uma entrevista.

Se você está em um relacionamento lute por ele. Na vida real não existe o tal de “felizes para sempre”. Viver a dois é uma batalha diária que demanda lealdade, comprometimento, tolerância, paciência, cumplicidade e vontade. Converse mais, aceite mais, entregue mais, ame mais. Se você está só e tentar fazer tudo isso que está escrito aí em cima sua autoestima vai subir e você, com certeza, estará mais próximo (a) de encontrar alguém.

Nesta onda de mudanças percebemos que o Brasil este ano vai mudar. Estamos passando de um sistema de governo para outro e cabe a cada um de nós nos adaptar. Apartidariamente falando digo que se este é o governo que você queria faça sua parte e colabore naquilo que for possível e aguarde os resultados; se este não é sistema de governo que você almejava adapte-se. Pense no Brasil como um todo. Dê uma chance e, também, aguarde os resultados. Se não forem satisfatórios daqui a quatro anos envide esforços para mudar!

De repente, você leitor(a) para e pensa: quem é este cidadão que acha que sabe o que eu devo fazer para mudar minha vida? Digo que talvez este texto esteja sendo escrito para mim mesmo, para ratificar ou retificar alguns pensamentos meus. É como diz a célebre frase do escritor Richard Bach, “Aquilo que você mais sabe ensinar, é o que você mais precisa aprender.” E quando se descobre que na verdade não sabe nada e não é dono da verdade você passa a ser mais suscetível às mudanças necessárias para quebrar paradigmas que, às vezes, o(a) impedem de MUDAR.

Praeterita mutare non possumus, todavia, 2019 pertence a você.

Comentários