MDB vai às urnas

Sob a égide do “MDB velho de guerra”, uma releitura de quando o partido foi criado e só tinha como adversária a extinta Arena, o senador Roberto Requião, que preside o partido no Paraná, convocou nesta terça feira (4), as eleições no Estado. A escolha da nova executiva estadual será no dia 15 de dezembro, na sede medebista em Curitiba.

O partido já se ajeita de olho num melhor desempenho nas eleições municipais de 2020. Nessa corrida, três candidaturas estão no páreo: os deputados João Arruda, que tem o apoio do primo Requião Filho e assegura que também conta com o aval do tio Requião; o também deputado Sergio Souza e como oposição a João Arruda, o atual assessor de gabinete de Requião, Sergio Ricci, que também responde pela secretaria adjunta do partido.

Nos bastidores a movimentação é intensa. Lideranças e prefeitos organizam a militância para a votação. Se de um lado, João Arruda diz à imprensa que a sua candidatura nasceu de prefeitos e outras lideranças estaduais, Ricci repete o mesmo refrão. “A candidatura do Ricci está crescendo muito”, confidencia um interlocutor a esta jornalista. “Acreditamos em representantes dos setoriais, como mulheres, jovens, negros e minorias, sindicatos, e categorias como os professores, profissionais liberais e tantos outros segmentos representativos da sociedade estarão representados. Esse é o MDB, é a cara limpa da renovação do partido”, diz.

Desfalcado nas últimas eleições quando elegeu apenas dois deputados estaduais, sendo eles, Anibelli Neto e Requião Filho, outros dois federais, Hermes Frangão Parcianelllo e Sergio Souza, ficou em terceiro lugar na candidatura majoritária, e não reelegeu o senador Roberto Requião, o MDB quer o seu protagonismo na política paranaense de volta. Mas para isso vai ter que se reorganizar, além de fortalecer a células nos municípios. E para isso, a ideia é compor chapas completas nas principais cidades paranaenses. Guarapuava é uma delas.

Comentários

WP2Social Auto Publish Powered By : XYZScripts.com