Não entender os porquês!

De tempos em tempos a vida nos prega peças, temos a mania de imaginar o controle de tudo que nos cerca. De nossas decisões, planos, metas, de tudo que está a nossa volta.  A vida parece que gosta de nos enganar, o tempo passa e a gente se acostuma com as coisas dando certo ou errado, seguindo o fluxo que imaginamos e logo ficamos tranquilos em fases de bonança ou de tempestades, mas, tudo dentro do planejado.

De tempos em tempos somos chacoalhados, algo que estava dentro do plano muda completamente, tudo aquilo que realizávamos mentalmente no futuro muda, é um tapa na cara, um aperto no coração, um susto.

A mente acelera, a respiração fica curta, a ansiedade se empodera, a única coisa que a gente pensa é aquilo que se perdeu, a lágrima cai, às vezes a raiva, outras a tristeza, o sentimento de inconformidade e tentamos responder o porque dos porquês?

Tem coisas nessa vida que não se explica, e nem devem ser explicadas, o entendimento e a compreensão muitas vezes são pequenos demais para tudo aquilo que se aprende e se vive. Viver é um presente, quisera Deus todos tivéssemos discernimento de aceitar as derrotas, assim como fazemos com as vitórias, as tristezas assim como as alegrias.

Talvez uma visão mais ampla nos faça agradecer os momentos de luta, principalmente as batalhas travadas dentro de nossas cabeças. E, com essa abordagem única de nossos momentos possamos renascer com olhares e sensibilidades diferentes para, enfim, de fato vivenciar verdadeiramente os instantes de glória. O universo sempre está a nosso favor e a sabedoria divina nos coloca exatamente nas posições onde deveríamos estar, para aprender a respirar, aceitar, confiar e seguir. Quanto mais se agradece pelas experiências, mais forte e mais perto de Deus estamos.

Se você está num momento onde não encontra saída, a pergunta que deve ser feita é “O que é que eu ainda não aprendi que eu devo aprender?”

Comentários