O que será que é?

Hum! Tem algo incerto atrás da candidatura de Ogier Buchi ao Governo do Paraná ao ponto deste desafiar seu “oficial” maior, que é, nada mais ou nada menos do que o bizarro Jair Bolsonaro?

Ogier saiu à imprensa nesta quinta feira (16) para se auto-proclamar candidato, com direito ao registro eleitoral e diz que não desiste, de jeito nenhum. Chegou até a invocar um salmo bíblico o 91:7 que diz: “Mil cairão ao teu lado, dez mil à tua direita. Mas tu não será atingido”. Me remeteu à uma cena de exorcismo. E ainda avisou: “Todos sabem que quando eu entro numa briga é para valer. Eu registrei a minha candidatura ao Governo do Estado e não vou recuar de forma alguma”.

Em contrapartida, a Executiva Estadual do PSL, sob o comando de Fernando Francischini, também utilizou a  mídia para divulgar uma nota esclarecendo que o Partido não registrou nenhuma candidatura ao governo  no Paraná. Ou seja: tudo leva a crer que Ogier agiu à revelia do PSL, tanto nacional, quanto estadual.

O advogado e radialista, tenta minimizar o efeito do dedo em riste de Bolsonaro, e diz que o áudio distribuído via watts, com o apoio do capitão direitista a Ratinho Júnior é antigo. Fontes ligadas ao PSD, entretanto, garantem a esta colunista que o apoio é real e que Bolsonaro determinou que no Paraná o PSL não terá candidatura própria.

Mas até que ponto esse apoio explícito do militar será benéfico para a campanha de Ratinho Júnior? Se por um lado, atrairá os eleitores de Bolsonaro, de outro, poderá provocar a antipatia de quem abomina as ideias radicais, homofóbicas, racistas, preconceituosas, xenofóbicas e tantas mais, desse senhor senil. Mas esse é um assunto que caberá à coordenação de campanha e, principalmente, de marketing, de Ratinho Júnior.

Quanto a Ogier e esse desencontro de interesses com o seu comandante, nos resta aguardar os desdobramentos e descascar esse abacaxi. Ou seria laranja?

Comentários

WP2Social Auto Publish Powered By : XYZScripts.com