PeTra Costa não sabe o que é democracia! Será?

“A democracia não corre, mas chega segura ao objetivo”.

Goethe

Pressinto que este vai ser um texto polêmico, entretanto, escreverei mesmo assim.

Vou falar desta senhora que confesso, até ano passado nunca ouvira falar. Sou um cinéfilo de carteirinha e passo muito tempo assistindo filmes, contudo, não escreverei sobre o tal documentário que está concorrendo ao Oscar por dois bons motivos: o primeiro é que assisti a um trailer do filme e já não gostei, isto mesmo antes dele gerar tanto falatório e segundo, porque já faz muito tempo que o tal do “Oscar” não significa nada para mim já que, ao meu ver, trata de bilheterias graúdas e não mais da arte do cinema. Tecerei comentários apenas das imbecilidades que a Sra. PeTra espalha mundo afora. Mundo este que ela conhece muito bem já que é uma daquelas famosas esquerdistas que aprendeu sobre o socialismo não na Coréia do Norte ou em Cuba, mas, morando em Paris, estudando no Barnard College (faculdade privada em Nova York) ou no London School of Economics na cidade de Londres. Tudo isto porque a bolchevista é cria de uma família de militantes de esquerda que é dona da Andrade-Gutierrez, empresa que está envolvida até o tutano no escândalo de corrupção que dilapidou a Petrobras a mando do Sr. Luiz Inácio. Devota do Partido dos Trabalhadores desde a infância sofrida morando em Paris a Sra. PeTra já possui vários filmes em seu portfólio e já foi beneficiada pela Lei Rouanet para filmar uma história sobre sua irmã. Só para dar contexto, esta é a mesma lei que ajudou a lançar um livro sobre o José Dirceu, o livro do Chico Buarque, o museu do Lula e o filme sobre o Brizola.

Mas até aí tudo bem, cada um pensa como quer e tem o direito de expor tudo o acha que sabe. Isto é a verdadeira democracia que a ilustre PeTra diz que está em “vertigem”. Se a jovem cineasta vivesse na Moldávia, no Laos, na China, ou seja, em qualquer país “democrático” de visão socialista e propalasse aos quatro ventos suas ideias ela assistiria seu documentário pela televisão, se a prisão em que ela estivesse permitisse isto. Porque nestes países socialistas onde a Sra. PeTra nunca morou nem passou férias, as pessoas que discordam do modo de pensar do governo têm o estranho costume de “sumir” da vida pública, como foram os casos do cineasta Shen Yongping, preso após lançar um documentário gratuito sobre uma possível nova constituição na china, do jornalista Jorge Ramos preso por fazer perguntas incômodas ao “democrático” ditador venezuelano Nocolás Maduro ou do jornalista de origem cubana Roberto Quiñones preso por criticar o governo do país de Fidel. Críticas estas menos contundentes e incomensuravelmente mais REAIS que os disparates proferidos pela pseudo intelectual comunista burguesa.

Repito agora que não vou discutir o valor técnico da película brasileira, notoriamente de esquerda, que concorre a uma estatueta no país mais capitalista do mundo. Contudo, se fossem sérios e reais os pensamentos ideológicos da Sra. PeTra e digo mais: se fosse pela arte em si do cinema, uma diretora socialista como ela jamais permitiria uma obra sua concorrer a um prêmio na terra do Tio Sam.

O que essa senhora na verdade faz é um desserviço para o Brasil. Ao dar entrevistas ela descreve nosso país como se fossemos a União Soviética durante a Guerra Fria, fala de nossa terra como se fossemos estúpidos o suficiente para aceitar uma realidade que só ela e outros militantes de esquerda conseguem ver. Afirmou ainda a letrada diretora que a floresta amazônica vai se transformar em uma savana. Tenho o privilégio de ter morado por mais de 13 anos na Amazônia e a conheço profundamente e digo que nem querendo conseguiríamos tal feito, mas, se ela virar mesmo uma savana quem sabe a girafa pintada pela maquiadora youtuber pudesse morar lá! (Perdoem-me, não pude evitar a piada)

A madame PeTra fala abertamente contra o presidente Capitão dizendo, entre outras asneiras, que ele incentiva a invasão de terras indígenas e não lança uma palavra sequer contra as invasões que realmente acontecem pelo MST. Se aqui realmente fosse como ela descreve é bem provável que ela estaria presa em um gulag na Sibéria, mas não, anda serelepe por aí, utilizando a polêmica de seu documentário para conseguir mais alguns dólares.

Enfim reitero que a Sra. PeTra não tem nem ideia do que realmente seja uma democracia, mesmo que ela esteja vivendo em uma (isto quando não está morando fora do Brasil). Por outro lado, imagino que tendo estudado em várias escolas internacionais de renome ela deveria saber o que DEMOCRACIA significa e se de fato o sabe é por pura convicção ideológica que utiliza sua obra e suas falas para defender os interesses espúrios de seu “inocente” mestre Luiz Inácio e de sua Organização.

Comentários