Quando a maldade tenta imperar

É incrível como a maldade envolve as pessoas. Aquelas que para chegar ao seu objetivo, não se importam quais sejam os seus meios. Em vez de torcerem pelo bem comum, ficam à espreita, esperando para dar um bote traiçoeiro, bem ao estilo que “quanto pior, melhor”. Afinal, a elas não interessa o que está feito em prol da população, o que vale mesmo é escrachar, mesmo se utilizando de má fé para atingir o outro, aquele que não concorda com os factoides políticos, que não se preocupa com os que seus desafetos pensam. Às pessoas de boa fé, compromissadas com a verdade, com o bem coletivo, com o que é certo, só interessa cumprir com o que lhe foi atribuído. Corresponder com os anseios de quem lhe outorgou o “poder” por meio do voto é só o que interessa.

Já ao outro, aquele não foi retirado ou não chegou ao poder, só tem os olhos voltados ao sadismo de disseminar meias mentiras, recortando frases, deixando-as incompletas para tentar manchar a imagem de quem só faz o bem. E para essas pessoas, as redes sociais, as fake news, são um prato cheio.

Você pode estar se perguntando por que estou escrevendo tudo isso. E como prezo pela verdade, eu explico. Na hora do almoço, uma matéria veiculada no Portal RSN tratou de uma operação desenvolvida pelo Gaeco e pelo Gepatria sobre o cumprimento de mandados de busca e apreensão nos municípios de Palmital, Laranjal e Curitiba. O órgão lesado pela prática de um grupo criminoso, segundo o Ministério Público do Paraná, é o Consórcio Intermunicipal de Saúde do Centro-Oeste, o CIS Centro-Oeste, com sede em Guarapuava. As investigações, porém, são dos anos de 2014 a 2016, conforme está escrito na matéria, e as pessoas envolvidas também são desse período, quando o então presidente era o ex-prefeito de Laranjal João Eliton Dutra. Portanto, nada tem a ver com a atual diretoria. Nada tem a ver com o atual presidente, o prefeito de Candói, Gelson Costa. Tem a ver sim, com o órgão – não se muda a denominação a cada gestão –  e com pessoas que já não fazem mais parte da gestão.

Enquanto pessoas disseminam a maldade, e abastecem de ódio as redes sociais, outras continuam trabalhando, numa boa, sem serem feridas nem mesmo por um arranhão. Afinal, os atos, as realizações, a conduta, embora de poucos em relação aos maldosos, ainda fala mais alto. É bom que o povo desavisado saiba disso. O que é bom em tudo isso, é que o Universo conspira e o tiro sempre acaba saindo pela culatra para punir os maus.

EM TEMPO – Quando postamos – e aqui falo no plural – uma notícia, temos a responsabilidade de divulgar a verdade, com base em fontes confiáveis, no caso, o Ministério Público do Paraná. Lamentamos quando esse conteúdo é utilizado de forma parcial, maldosa, e que para atender interesses de uma minoria acabam prestando um desserviço à sociedade.

Comentários