Que em 2018 o planeta renasça como fênix

 

O ano de 2017 foi marcado pelo sentimento forte de que realmente todas as instituições falidas estão desmoronando, mesmo aquelas consideradas intocáveis. Para isso, como em qualquer situação em que a verdade permanece durante muito tempo invisível, arma-se um cenário de caos, insegurança e até dor.

Do ponto de vista coletivo em muitos momentos parece que as estruturas não têm mais salvação. E não têm mesmo! É preciso começar do zero. Mas não há faxina sem bagunça, nem transformação sem desconstrução.

Individualmente muita angústia se fez presente para reavaliação de valores, crenças e a forma como cada um enxerga e leva a sua vida. Quando não anestesiadas, mesmo que profundamente doloridas, as reflexões impulsionam para um salto quântico de entendimentos. Nossas decisões estão sendo tomadas pela nossa face de luz ou sombras? Tudo está sendo colocado sobre a mesa!

Para quem está resistente às mudanças, o processo se torna ainda mais difícil. É preciso abrir mão de antigos paradigmas limitantes e ter a disposição de se abrir para o novo.

A esperança é que em 2018, depois de toda essa nuvem negra e período cinzento de mentiras desmascaradas, violência e falta de amor em todos os setores da sociedade, a humanidade retome a sua essência, a sua natureza mais preciosa e o planeta tenha a força de uma fênix que renasce brilhando para todos. Uma luz que vem de dentro de cada um. Um grande despertar!

Que venha o novo! Mais belo e feliz!

Até breve.

Beijos.

Jo

Comentários