Retardamentos pós-modernos e outros bichos

Buenas caríssimos! Já deu pra sacar que me deu aquela leseira [e que leseira] e aí não saiu crônica nenhuma. Foi mal Juvenal. Mas, como sou teimoso e desajuizado feito a peste, segue abaixo alguns aforismos e reflexões, meio sem jeito, ao estilo pascoalino/nietzschiano/, com um temperinho de Cioran, à la Lavelle, para sua degustação. Isso dito, divirtam-se, se possível for, porque eu, de minha parte, vou tomar o meu bom e velho cafezinho.

 

[1] Usar o aparelho celular a todo momento, principalmente nas ocasiões que são flagrantemente inconvenientes, é um claríssimo sinal de retardamento moral. Retardamento esse que evidencia o quanto que esse tipo contumaz de usuário – dos ditos cujos aparelhos – é, realmente, um idiota mais que perfeito. Perfeitíssimo.

 

[2] Os retardados morais que não largam os seus celulares pra nada (imagino que nem mesmo para curtir possíveis carícias íntimas com alguém), são criaturinhas, em meu ver, similares ao Smigol do Senhor dos Anéis. Essas, de modo análogo a personagem literária, não são capazes de deixar de lado aquela bosta de jeito nenhum e imaginam, de maneira pueril, que estão invisíveis aos olhos dos outros por simplesmente estarem usando o dito cujo e, com o tempo, tal qual ocorreu com o Smigol, essas alminhas vão tornando-se criaturas disformes que refletem, de modo muitíssimo particular, a mesquinhes limitante de um olhar que não mais consegue erguer-se para além das estreitas fronteira da tela do seu precioso.

 

[3] Sim, não há menor dúvida de que um aparelho celular é uma ferramenta de grande utilidade se, obviamente, o dito cujo for devida e apropriadamente utilizado. Porém, todavia e, entretanto, é bom lembrar que os retardados morais pós-modernos sempre conseguem dar a esses brinquedinhos as utilidades mais imbecis. E eles são muito bons nisso. Ah! Como são.

 

[4] Autodidata, até pouco tempo, era aquele caboclo que era capaz de estudar e aprender por conta. Todavia, na sociedade aloprada em que vivemos, consideram-se e são considerados autodidatas todo e qualquer idiota que seja capaz de imbecilizar-se sem a ajuda de ninguém.

 

[5] Se você estiver falando, explicando, algo para alguém e, esse alguém, não for capaz de levantar os seus olhos da tela do seu precioso celular para prestar atenção naquilo que você está dizendo, não fique bravo não. Não se irrite, porque as almas servis, invariavelmente, são assim mesmo: incapazes de agir duma forma que não seja a dum pertinaz imbecil. E tem outra: esse tipo de gente, no fundo, precisa muito, muitíssimo de ajuda. Duma ajuda que nós não temos como oferecer porque, esses retardados morais, de tão alienados que são, não fazem a menor ideia de que carecem, urgentemente, de ajuda. E como carecem.

 

 

Escrevinhadas anteriores:

 

O QUE NOS RESTA É PITAR

 

NÃO É BEM ASSIM NÃO

 

MATUTADAS DUM CAIPIRA ESCREVINHANTE

 

O GRITO SILENCIOSO

 

DA VERGONHA AO TERROR

 

A SOMBRA DO REI BARBUDO

 

DISNEY LULA TERMINOU

 

DE CORAÇÃO É QUE SE APRENDE

 

COM QUANTAS CHORUMELAS SE FAZ UMA GAMELA?

 

AMOR PRÓPRIO NÃO É AMOR A DEUS

 

INSENSÍVEL! FASCISTA! TAXIDERMISTA!

 

DIREITOS HUMANOS VS. DIREITOS DOS MANOS

 

TODOS OS CAMINHOS LEVAM PARA ALGUM LUGAR

 

ENTRE CRENÇAS E CRENDICES FURADAS

 

UM JOVEM ENTRE DOIS LIVROS

 

DORMINDO NA PIA DA COZINHA

 

O ÓBVIO ULULANTE

 

AS ATABALHOADAS NOSSAS DE CADA DIA

 

ENTORPECENTE E DEGRADANTE

 

A TRISTEZA DO JECA

Comentários