Um tempo para a lembrança

O velho barracão é uma lembrança do passado

Como o desenvolvimento encurta distâncias. Percebi isso, mais uma vez, na manhã desta terça (21), quando fui à Avenida Aragão de Mattos Leão Filho, numa localidade há tempos atrás conhecida como “Os Pinheirinhos”. A origem desse nome, até hoje ainda não consegui descobrir. Foi ali, que passei parte da minha infância. Afinal, grande parte desse local pertenceu ao meu avô paterno, o Agostinho Esteche. Dono de uma das primeiras lojas comerciais de Guarapuava: A Brasileira.

Nesse tempo, morar nos “Pinheirinhos” era estar praticamente quase fora da área urbana. Porém, onde existiam pequenos sítios, o desenvolvimento da cidade foi aos poucos tomando para si. Hoje está incorporado a uma área muito próxima do Centro da cidade. A antiga rua de terra, ou Avenida Cascavel, como era chamada, hoje abriga uma via que foi alargada, dotada de infraestrutura necessária e mudou de nome: Avenida Aragão de Mattos Leão Filho.

E é ali, quase no começo da avenida, que o antigo barracão que era a sede do Chimarrão Oeste Paraná, também dará a sua contribuição ao desenvolvimento de Guarapuava. Parte do imóvel que pertence aos “Boava”, como era tratada a família de Joaquim Manoel de Souza, foi comprada pela multinacional Grupo Carrefour. O projeto para uma unidade da Rede ‘Atacadão’, de propriedade do Grupo, já está aprovado. Significa que a cidade ganha mais um empreendimento no setor de vendas no atacado e varejo. É um dos maiores grupos empresariais do mundo que viu em Guarapuava a cidade ideal para a ampliação dos negócios no Sul do país.

Guarapuava se prepara para receber grandes empreendimentos. Com a infraestrutura existente e implantada nos últimos anos, o município entra no eixo das cidades favoráveis a investimentos e a se tornar uma ‘smart city’, tendência mundial de quem deseja oferecer qualidade de vida aos moradores sem perder o foco na inovação tecnológica.

E é nesse sentido que o surgimento de novos empreendimentos está contribuindo para o crescimento urbano de Guarapuava. E a cidade cresce para todos os lados, valorizando novas regiões. E o progresso surge e segue na certeza de que viver, apostar, acreditar, investir é compartilhar algo que o novo nos revela a cada dia.

E se o mercado vibra com esse novo cenário que a cidade apresenta, o consumidor agradece, pois é o maior beneficiado com a concorrência saudável. E as boas notícias não param por aqui. A prospecção é de novos empreendimentos, de dias melhores que ainda virão.

Quanto às lembranças do passado? Elas ficam e serão guardados no baú da memória. Porém, ao contrário do que o desenvolvimento proporciona ao encurtar a distância física, nesse caso aumenta o percurso entre o passado e o presente. Assim, as lembranças se tornam apenas momentos passageiros que ficam atrás das cercanias memoráveis da infância.

 

 

 

Comentários