Uma semana de decisões

Esta semana será decisiva no cenário político estadual e nacional. Desincompatibilizações, novos nomes para mandatos tampões, decisão sobre o futuro político do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, são alguns dos fatos que ocorrerão até o dia 07 de abril.

Na quarta feira (04) o Supremo Tribunal Federal (STF) reassume o julgamento do habeas corpus para que Lula seja, ou não preso, e cumpra a condenação de 12 anos e um mês no caso do tríplex do Guarujá. Para pressionar os 11 ministros do Supremo, o Ministério Público e a magistratura fizeram um abaixo-assinado pela prisão em 2ª instância que será entregue nesta segunda feira (02), dois dias antes da análise do mérito do pedido da defesa do ex-presidente que pede que Lula aguarde em liberdade até que sejam esgotados todos os recursos nas últimas instâncias.

Porém, Lula terá que lutar também contra forças celestiais. O procurador Deltan Dallagnol, responsável pelo power-point usado para condenar o ex-presidente foi às redes sociais neste domingo de Páscoa para dizer que fará jejum e orações pela prisão de Lula. “O cenário não é bom. Estarei em jejum, oração e torcendo pelo país”, escreveu o procurador, dando a entender que o Supremo pode ter uma decisão que favorecerá o petista.

Em meio a tudo isso, a polícia investiga o atentado contra dois dos três ônibus da comitiva do ex-presidente, no trajeto entre Quedas do Iguaçu e Laranjeiras do Sul no último dia 28. Entretanto, caso a decisão do STF seja contra o ex-presidente, mesmo sendo preso e condenado em segunda instância, Lula pode registrar sua candidatura a presidente, as estará nas mãos do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), que vai dizer se ele pode concorrer ou não.

No Paraná, o governador Beto Richa deixa o governo e quem assume é a vice Cida Borghetti, candidatíssima à sucessão palaciana. Junto com Richa seis secretários também pedem exoneração, incluindo o guarapuavano Cezar Silvestri que será substituído por Omar Akel que já deixou a Coordenação da Região Metropolitana de Curitiba (Comec), para assumir a Agência Reguladora de Serviços Públicos do Paraná (Agepar).

A deputada Cristina Silvestri também, deixa a Assembleia Legislativa do Paraná para dar lugar ao titular da cadeira, Douglas Fabrício que vinha respondendo pela Paraná Esportes. Ela vai se dedicas à campanha a deputada federal.

No cenário federal não será diferente, já que 12 ministros desembarcarão do governo Temer para serem candidatos.

Comentários

WP2Social Auto Publish Powered By : XYZScripts.com