UNICENTRO: Habemus Reitor

Neste último dia 19 ocorreram as eleições da nossa UNICENTRO e o resultado já foi divulgado aqui mesmo na RSN. Quero tratar aqui do que isto realmente significa. Todos nós guarapuavanos temos, pelo menos, um filho, sobrinho, amigo ou conhecido que estuda, trabalha ou leciona nesta Universidade. Isto por si só já mostra a grandeza deste estabelecimento de ensino. Contudo, se você não é um destes três, não deve sequer ter percebido que houve um pleito para os cargos de Reitor e Diretores de Campus. E, com certeza, deveríamos todos estar atentos a tudo o que acontece na UNICENTRO, da mesma forma como nos preocupamos nas eleições municipais, já que ela é um patrimônio cultural de Guarapuava e Região e, até mesmo do Brasil, haja vista, a quantidade de alunos de outros estados que lá estudam. Digo mais, em algum momento de nossas vidas, seremos atendidos, ensinados, examinados, empregados ou orientados por algum profissional oriundo da UNICENTRO. Vale lembrar, para os que não sabem, que nossa Universidade é 28ª melhor do Brasil e com fortes possibilidades de melhorar este ranking.

Isto posto, reafirmo que devemos estar totalmente envolvidos com o que ocorre por lá, por que isto envolve diretamente a nós como sociedade.

Falando da eleição propriamente dita, devo confessar que, não fosse eu hoje um aluno do MBA, é bem provável que não soubesse, também, nada sobre o assunto. O fato é que, pude acompanhar uma disputa eleitoral que, por si só, demonstrou como uma universidade é o espelho da sociedade onde ela se insere. Houve uma polarização dos participantes que muito se assemelhou ao que ocorreu no Brasil em 2018, com uma grande diferença: na eleição presidencial se tentava mudar o estilo e a forma de governar e aqui na UNICENTRO o objetivo era manter (e melhorar) o modelo que vem sendo aplicado nas duas últimas gestões.

Pude assistir dois modos totalmente distintos de captação de votos: um lado apelando para o embate direto, muito mais acusando do que apresentando propostas e a outra parte utilizando do diálogo como slogam e como prática eleitoral. Foi uma guerra com ataques de Fake News de uma parte contra a fidalguia, a simpatia e o comprometimento de apoiadores voluntários da outra. Um grupo insistindo com ideias retrógradas, de fundo ideológico, e outro apresentando um modo de aprimorar e crescer.

O bom senso venceu com mais de 63% de votos válidos daqueles que acreditam neste projeto, já em andamento, desde o tempo do Aldo Bonna hoje, graças a sua capacidade, Superintendente de Ciência, Tecnologia e Ensino Superior do Paraná e do atual Reitor Professor Osmar que insisto, por amizade, em chamar de Ambrósio.

Portanto, já na madrugada do dia 20 soltaram a fumaça branca e Habemus um novo Reitor. Professor Fábio, que conheci durante a campanha e Professor Ademir, já meu conhecido de outros tempos, foram eleitos merecidamente e contarão com o apoio de todos aquele que querem, verdadeiramente, um futuro mais brilhante ainda para a UNICENTRO.

Tenho certeza que o propósito Dialogar, Construir e Agir, utilizado durante a campanha, vai encontrar eco nos corredores de todos os campi e, ainda, ultrapassar os portões acadêmicos construindo pontes sólidas entre a NOSSA universidade e todos os setores da sociedade.

 

Comentários