Bolsonaro pede que Congresso não suspenda decreto do porte de armas

"Medida é importante para garantir segurança no campo", diz presidente

(Foto: Arquivo)

O presidente Jair Bolsonaro fez um apelo nesta terça (18) para que decretos que tratam do porte de armas não sejam suspensos no Congresso Nacional. Ele fez um discurso durante a cerimônia de lançamento do Plano Safra 2019/2020, que teve a presença de parlamentares e de representantes do setor agrícola. Ele afirmou que a medida é importante para garantir a segurança no campo.

O plenário do Senado poderá analisar hoje (18) a matéria que suspende o decreto do presidente Jair Bolsonaro que amplia as possibilidades de porte de arma.

Durante o pronunciamento o presidente disse que o Senado e a Câmara vão discutir a questão do decreto das armas e que a segurança no campo é uma coisa importantíssima. “E nós ampliamos por decreto o porte de arma de fogo em todo o perímetro da propriedade de vocês. Não deixem esses dois decretos morrerem na Câmara ou no Senado. Nossa vida é muito importante”.

E completou: “Vocês sabem o quão difícil é produzir neste país, e a segurança tem que estar acima de tudo. Então, acredito em vocês e vou conversar com os outros colegas para que esses dois decretos não caiam.”

De acordo com a Agência Brasil, em entrevista à jornalistas, Bolsonaro falou sobre o assunto e disse que o decreto de armas atende a vontade expressa pela população no referendo de 2005. Na ocasião, os eleitores foram às urnas e responderam à pergunta: “O comércio de armas de fogo e munição deve ser proibido no Brasil?”.

A maioria dos eleitores escolheu o “não”. O presidente afirmou também que não pode “fazer nada” caso a suspensão do decretos seja aprovada. “Não posso fazer nada. Não sou ditador, sou democrata.”

Relacionadas

IMPASSE

José Vitorino sofre derrota na Câmara e contas de 2006 são reprovadas

TRANSPARÊNCIA

Cesar Filho vai entregar a Prefeitura com superávit

MAIS UM NOME DIVULGADO

Celso Góes anuncia o novo titular da Secretaria Executiva

Comentários