Deputados pedem mudanças nas ações de combate ao desmatamento

Curitiba – Deputados da Oposição na Assembleia criticaram nesta terça-feira (02), a maneira como foi realizada a Operação Angustifolia de combate a crimes ambientais na região centro-sul do Paraná.
“A região de União da Vitória tem 57% de mata nativa, enquanto que no Paraná apenas 8% são preservados. A região sul tem a maior área preservada de araucária. E hoje somos tomados de surpresa por uma revoada de agentes da Policia Federal e do Ibama criando um terrorismo na região”, disse o deputado Valdir Rossoni (PSDB), que tem a região Sul como base eleitoral.
Rossoni deixou claro que não está defendendo aqueles que por ventura tenham cometido algum crime ambiental, e sim está em busca de mecanismos para proteger a agroindústria.“Estou do lado daqueles que plantaram pinheiros, eucaliptos e que em razão disto tem o direito de colher. Uma área que novamente será reflorestada”, argumentou.
O deputado apelou para o governador Roberto Requião para que reveja o modo como o Instituto Ambiental do Paraná (IAP) age na região em suas fiscalizações.“Em seis anos foi a primeira vez que pisei no Palácio do governo. Fui pedir que aja um maior controle na fiscalização do IAP e que executem as pessoas que realmente cometeram crimes ambientais e não empresários que trabalham dentro da legislação. O governador que sobrevoe a região para observar que é a região mais preservada do Paraná”, relatou. “Não é preciso todo esse aparato, essa agressividade. Há 15 dias que os empresários da região vivem esse terror e hoje (02) dezesseis empresas foram fechadas por suspeitas de crime. Sequer há a certeza de que exista algo errado”, completou.
Rossoni crê que essa ação, da Polícia Federal e do Ibama, tenha ocorrido em razão da rivalidade entre o ministro do Meio Ambiente, Carlos Minc, e da Agricultura, Reinhold Stephanes.
“É a região Sul pagando pela montagem do ministro do Meio Ambiente. Um circo montado entre o ministro Minc, que fica de short na praia de Copacabana, e o ministro Stephanes que tem o barro vermelho na botina. Há de se ter uma intervenção dos poderes para que se tenha um equilíbrio nessa apuração”.

Código Florestal
O líder da Oposição, deputado Élio Rusch (DEM) voltou a defender mudanças no Código Florestal Brasileiro. “Não podemos inviabilizar a atividade econômica do pequeno e micro agricultor, bem como do setor madeireiro. Ninguém quer derrubar a mata. Se plantam tem sim o direito de colher”, relatou.
Segundo Rusch, esse é o momento de se preocupar com a geração de emprego e ações como essa contrariam a iniciativa. “Os agentes da Polícia Federal lacraram as empresas. O momento é de facilitar para a geração de empregos e não de obstruir. Se há empresas irregulares tem que punir os responsáveis e não agir desta forma.”

Relacionadas

HOMENAGEM PÓSTUMA

Prefeito decreta luto oficial de três dias pela morte de Bosco

Carreata pede 'impeachment' de Bolsonaro também em Guarapuava

VAI COMEÇAR

Câmara marca início do período ordinário para 3 de fevereiro

Comentários