Palestra alerta sobre uso inadequado da internet

Guarapuava – Liberdade e Responsabilidade na internet foi o tema abordado numa palestra da advogada e professora do curso de Direito da Faculdade Campo Real, Patrícia Melhem, aos alunos, pais e professores da Escola Integração. A parceria entre as instituições de ensino faz parte de um projeto maior, Cidadania Real, que a faculdade promove em diversas áreas da educação e social.
Num primeiro momento, o tema foi tratado com os alunos da escola. Já na última terça-feira (23), foi a vez dos pais. No encontro, Patrícia comentou sobre a falsa impressão que as pessoas têm sobre a liberdade na internet. “Elas acreditam que, ao não se identificarem, podem falar e escrever o que quiserem, colocando nomes e fotos que não correspondem à realidade. A possibilidade dentro da internet é ilimitada, com aparente impunidade”, explicou.
É que mundo virtual é possível dar vazão à criatividade e ao sentimento sem que ninguém, a princípio, tenha que lidar com as consequências dos atos. A princípio, porque está se tornando cada vez mais comum que autores de crimes contra a hora e estelionato sejam descobertos.
O rastreamento das pessoas que se escondem atrás de endereços, comunidades com má intenção e perfis falsos (os chamados ‘fakes’) pode ser feito através do número do IP (Protocolo de Internet) do computador de onde foi mandada a mensagem, criado o site/blog ou gerada a comunidade. O país já soma mais de 17 mil condenações de crimes cometidos na internet.
“O Ministério Público e a Polícia Federal estão atuando cada vez mais com ênfase nessa questão, pois o conhecimento que está disponível para o criminoso também está à disposição da polícia”, apontou.
Segundo a professora, é preciso que adolescentes e pais estejam atentos aos perigos e armadilhas que a internet proporciona. Ela recomenda algumas precauções que nunca devem ser esquecidas, como não exagerar nas informações durante uma conversa com alguém em um programa de bate-papo ou sites de relacionamento. Outra dica é com relação as informações veladas, que podem estar contidas numa foto que deixe transparecer a rua onde mora ou a escola em que estuda, por exemplo. “Os pais devem fiscalizar com quem os filhos e não atribuir responsabilidade excessiva à escola”, finalizou.

Relacionadas

NUTRIÇÃO HUMANA

ONU estabelece 2021 como ano internacional das frutas e vegetais

COLHEITA FARTA

Produtor de cevada comemora colheita, qualidade e preço

CHAMADA PÚBLICA

Aberta chamada pública para agricultura familiar no Paraná

Comentários