PM reclama de médica que omitiu dados sobre vítima de agressão

Vítima de agressão teve braços e mãos golpeados com facão, além de dois dedos mutilados. Porém, médica não quis dar informações à equipe policial

Viatura policial (Arquivo/RSN)

Um caso de omissão de informações médicas chama a atenção neste primeiro dia de 2020. De acordo com a Polícia Militar, na Vila Lemler, distrito de Entre Rios, um homem deu entrada no Hospital Semmelweiss. Ele foi vítima de cortes nos antebraços e mãos, com golpes de facão. De acordo com a esposa da vítima, os dois caminhavam por volta da 1h37 desta quarta quando três homens olharam para eles e disseram “você tá tirando”.

Assim em seguida, um deles utilizando de um facão, desferiu diversos golpes contra a vítima, acertando em seu braço direito e mão esquerda, sendo que dois dedos da mão esquerda foram mutilados. Os três fugiram em seguida e não foram encontrados pela polícia.

De volta ao hospital, a vítima estava sedada e precisava ser transferida para o Instituto Virmond em Guarapuava.

Foi quando os policiais pediram à médica de plantão um  protocolo que descrevesse as lesões da vítima para constar no boletim de ocorrência.

Contudo, segundo a polícia, a médica disse que não era perita e que não forneceria as informações. O policial interpelou novamente dizendo que não precisava de uma perícia, mas apenas um auto que constatasse as lesões.

Porém, conforme a polícia, a médica respondeu que “isso dá muito trabalho”, e virou as costas para a equipe policial. Sendo assim, as lesões acima descritas foram relatadas unicamente pela esposa da vítima.

Leia outras notícias no Portal RSN.

Relacionadas

ALERTA EPIDEMIOLÓGICO

Decreto prorroga manutenção de medidas restritivas até 4 de agosto

PERFIL

Eviviane Ferreira Weiber lança pré-candidatura a vereadora

NEGOCIAÇÃO

Procon expede 'recomendação administrativa' para ensino privado

Comentários