“Se for culpado, ele tem que ser responsabilizado”, afirma Ana Rita Carli

Guarapuava – Após 10 dias do acidente que matou dois jovens e que feriu o deputado estadual Fernando Carli Filho, os pais Fernando Ribas Carli (PP) e Ana Rita Slaviero Carlifalram à imprensa pela primeira vez. Eles escolheram o programa Fantástico da Rede Globo para a manifestação pública.
Ana Rita se penitencia e diz que o filho, se culpado, deve ser responsabilizado pelo ato que cometeu. A mãe se auto-questiona onde errou na educação do filho.
Confira a matéria veiculada pelo Fantástico na íntegra:

A empresária Cristiane Yared e a auxiliar de limpeza Vera de Almeida passaram a semana anestesiadas pela dor.
“Foi a pior coisa da minha vida. O pior presente que eu ganhei, era meu aniversário”, conta Vera.
“Essa noite eu consegui dormir algumas horas. Eu sei que a outra mãe não dorme, não come e não dorme”, diz Cristiane.
No dia 7 de maio, Vera e Cristiane perderam seus filhos, Carlos Murilo, de 20 anos e, Gilmar Rafael, de 26, em um desastre de carro provocado por um jovem político paranaense.
Além de beber e dirigir em alta velocidade, o deputado estadual Fernando Carli Filho, de 26 anos, estava com a habilitação suspensa. Tinha 130 pontos na carteira. Nos últimos seis anos recebeu trinta multas; 23 por excesso de velocidade.
Era quase uma da manhã. Neste horário, com menos carros circulando, em vários cruzamentos de Curitiba, os semáforos piscam a luz amarela, em alerta. É um aviso para que os motoristas diminuam a velocidade, olhem com atenção e só depois avancem. Testemunhas dizem que o deputado Fernando Carli Filho ignorou todos esses cuidados. Acabou acertando em cheio o primeiro carro que cruzou o caminho dele.
Câmeras do posto de combustível que fica na esquina onde ocorreu o acidente registraram as últimas imagens do carro onde estavam os dois rapazes que morreram.
O carro deles passou em frente ao posto e freiou ao se aproximar do cruzamento. Quando avançou, foi atingido pelo carro do deputado, que vinha na outra rua. A equipe do Fantástico mostrou a imagem para um engenheiro mecânico que é perito em acidentes de trânsito.
“No carro das vitimas pode-se observar a luz de freio acionada, ele praticamente para e entra na via. Nesse momento dá pra ver a chegada do veículo do deputado na traseira, é aquela marquinha preta, essa marca preta com uma iluminação”, analisou o perito Paulo Gottlieb.
“Em função do que a imagem pode nos revelar, ele estaria a aproximadamente 150 quilômetros por hora”, complementa.
“Eu vi ele passando em altíssima velocidade”, afirma uma testemunha.
“A foto do carro das vitimas demonstra que os pneus estão intactos. O que nós deduzimos dessa imagem? Que o veiculo do deputado estava acima do solo, havia decolado. O carro do deputado passou praticamente por dentro do Honda Fit. Acima do nível do piso”, diz o perito.
“Já é possível identificar depoimentos testemunhais que indicam embriaguez por parte do deputado”, declara o promotor Rodrigo Chemin.
Os garçons e seguranças do restaurante, onde o deputado jantou, pouco antes do acidente, confirmaram que ele havia tomado vinho e saiu de lá bêbado. O socorrista que atendeu Fernando Carli Filho registrou no boletim: “Hálito etílico”; ou seja, cheiro de álcool.
Só na última sexta-feira, nove dias depois do acidente, a Justiça determinou que seja feito o exame de dosagem alcoólica no deputado. O teste vai ser feito no sangue colhido no dia do acidente, que estava guardado em um laboratório. O resultado deve sair em 15 dias
“Estou me manifestando, porque as mães dessa cidade que perderam seus filhos em causas violentas, e muitos estão impunes por aí. As mães dessa cidade merecem respeito!”, pede Cristiane.
Em São Paulo, onde o filho está internado, Ana Rita Carli, mãe do deputado decidiu falar pela primeira vez depois da tragédia.
“Tenho pensado onde que nós erramos. Você cria o filho, faz tudo por ele, ensina os primeiros passos, e de repente você se vê envolvida numa tragédia dessa, uma dor dessa, onde a vida para”, desabafa a mãe.
O deputado está na UTI. Já passou por uma cirurgia que durou 14 horas para recompor os ossos do crânio e da face, e ainda deve ser operado novamente.
Por ser deputado estadual, Fernando Carli Filho só pode ser julgado por desembargadores do Paraná.
A família de Rafael, morto no acidente, entregou na Assembléia do estado um pedido para que o deputado seja cassado por quebra de decoro. Os colegas dizem que não haverá privilégios.
“A gente tem que cumprir a Constituição diz, que nós somos iguais, e nesse caso não há razão de ser que nós tenhamos para esse ou aquele um tratamento diferenciado”, afirma o deputado Tadeu Veneri.
“Nós não vamos passar a mão na cabeça e se ficar provado que ele é culpado, ele vai ter que pagar pelo que fez”, diz a mãe do deputado
Confira o videos:

showswf (“http://portal.rpc.com.br/tv/player/player.swf?emissora=paranaense&file=46121&autostart=0&tempoTotal=&seq=&rand=12&videoano=2009&videomes=05&videodia=17&videonome=revistarpc”, “480”, “369”);

Relacionadas

Governador nomeia dois novos secretários de Estado

AÇÃO

MP pede devolução de mais de R$ 1 milhão em diárias da Câmara

ELEIÇÕES

Deputados aprovam adiamento das eleições para 15 e 29 de novembro

Comentários