Vereadora quer 20% das concessões de táxis para mulheres

Conforme a professora Terezinha, Guarapuava conta com 117 concessões de táxis. Destas, somente 15 são de mulheres

Vereadora quer 20% das concessões de táxis para mulheres (Foto: Arquivo/RSN)

Um projeto de lei de autoria da vereadora Professora Terezinha Daiprai (PT) quer assegurar 20% das concessões de táxi às mulheres. A proposta altera a Lei de nº 2.373/2014, que dispõe sobre a regulamentação do Serviço de Transporte Autônomo de Passageiros por Táxi. Assim, o projeto protocolado na quarta (26), é uma alusão ao Dia Internacional da Igualdade Feminina e a Semana Municipal do Profissional de Táxi.

De acordo com a vereadora, o foco é a redução da disparidade de gênero no mercado de trabalho. Além de assegurar a autonomia econômica e financeira das mulheres. Se aprovado, o PL também contribui para a segurança das passageiras. Isso porque com a porcentagem a passageira pode optar por uma motorista.

“Vemos diversas denúncias de assédio em táxis e corridas por aplicativo em todo o país. Dessa forma, garantimos o direito de ir e vir das mulheres sem abusos e violências”.

Por fim, conforme a professora Terezinha, Guarapuava conta com 117 concessões de táxis. Destas, somente 15 são de mulheres.

PELO DIREITO DE DIRIGIR

A reivindicação para concessão de táxis dirigidos por mulheres é histórica. Até o momento, esse direito só chega quando deixado de herança pelo pai ou pelo marido. Conforme  história, as mulheres começaram a dirigir os táxis no início do século XX. Em 1908 Madame Decourcelle teve licença para trabalhar com táxi em Paris.

Já em Nova York foi Gertrude Jeannette a primeira mulher a trabalhar como taxista, em 1942. Anos depois, em 1950, Curitiba, Hermínia Gantzel foi a primeira mulher taxista.

Leia outras notícias no Portal RSN.

Relacionadas

PANDEMIA DA COVID-19

80ª morte por covid-19 é confirmada em Guarapuava

DESTAQUE NACIONAL

Professora da Unicentro recebe prêmio de excelência por pesquisa

PREVENÇÃO

Mega operação vai combater a criminalidade em Guarapuava e Região

Comentários