A história da Família Merlin pelas mãos da professora Dirce Clève

Cristina Esteche

A importância da Família Clève na história de Guarapuava começa há muitos anos. Depois de o desembargador Jeorling Clève se aposentar da magistratura e dedicar seu tempo a escrever livros, agora é a vez de sua esposa, a professora Dirce, se dedicar à literatura.
O livro “Família Merlin: Memória é Pura Imaginação”, lançado em novembro de 2014, relata a saga dos imigrantes italianos vindos de Verona e, em especial, do casal Giuseppe e Giuditta Merlin. “Voltar ao passado é sempre um caminho cheio de surpresas e família é algo grandioso que explica nossos traços físicos e nosso temperamento”, diz a professora.
Entre os motivos que a levaram a escrever, está a curiosidade de um dos netos, que sempre procurou saber mais sobre a história da família. “Meu neto Luís Gustavo foi o maior incentivador. Ele era curioso pra saber todas as histórias. Aproveito também para deixar aos meus netos a viagem e a coragem da nossa família”, revela.
A narrativa – que é também um passeio cultural pela história dos imigrantes, as dificuldades
e a perda da língua italiana com a Segunda Guerra Mundial – começou a ser escrita em 2012. Concluída no mês de maio deste ano, somente em novembro foi apresentada à família, em comemoração ao aniversário do pai da autora. “Estou feliz. Fiz um trabalho que me satisfez, que fez menção a vinda dos antepassados. Mostro como sofreram e como se fixaram no país. Motivei algumas amigas que estão contando histórias da família e as próprias histórias. É gratificante”, finaliza a professora.

Sobre Dirce Clève
Com vasto currículo na área da educação, Dirce Clève é professora e possui
mais de 14 especializações, já participou de vários seminários e encontros pedagógicos.
Seu relevante trabalho foi reconhecido pela comunidade de Pitanga, que mais
tarde a homenageou, dando seu nome à Biblioteca das Faculdades do Centro do Paraná,
em 2003. Em abril de 2004, a Câmara Municipal de Pitanga lhe fez a outorga do título de Cidadã Honorária da cidade.

Dirce Clève é uma das mais ativas soroptimistas da cidade de Curitiba. O título,
criado nos Estados Unidos, vem de uma junção de palavras latinas (soror – irmã/mulher,
óptima – excelente) e procura evidenciar mulheres que atuam constantemente em ações voluntárias em prol de melhores condições para as mulheres. Na capital
paranaense, Dirce foi responsável pela coordenação da Campanha de Prevenção
ao Tráfico de Mulheres, publicando as cartilhas “Liberte-se das Opressões – Diga Não
à Violência”, “Tráfico de Mulheres, Não Deixe Acontecer” e o livro “Direitos Humanos
para Mulheres e Meninas”.
No rol das homenagens, a professora também guarda uma que foi dada pela UniBrasil. Na ocasião, a instituição batizou o complexo poliesportivo com o nome de
Dirce Clève em função das inúmeras realizações na educação e na cultura.

Comentários