Assembleia inicia processo de sindicância para averiguar quebra de decoro parlamentar por parte de Carli Filho

Guarapuava – O presidente da Assembleia Legislativa, Nelson Justus (DEM) juntamente com o corregedor-geral, deputado Luiz Accorsi (PSDB), e o presidente do Conselho de Ética e Decoro Parlamentar, deputado Pedro Ivo (PT), decidiram abrir um processo de sindicância para apurar a possível quebra de decoro parlamentar por parte do deputado Luiz Fernando Ribas Carli Filho (PSB), recentemente envolvido num acidente de trânsito que vitimou dois jovens Gilmar Rafael Souza Yared, de 26 anos, e Carlos Murilo de Almeida, de 20.
“A nossa prioridade é o compromisso da Assembleia com a sociedade paranaense, por intermédio da prática da justiça e da verdade. No dia de hoje estabelecemos um roteiro para dar início ao processo aqui no Legislativo Paranaense, seguindo os preceitos constitucionais, legais e regimentais”, afirmou o presidente Nelson Justus.
O primeiro passo do processo, que terá a duração máxima de 30 dias, será o parecer pela abertura da apuração, emitido pela Corregedoria que, segundo Accorsi, deve ser entregue à Mesa Executiva ainda nesta segunda-feira, 18. Em seguida, o deputado Carli Filho será notificado no Hospital Albert Einstein, na cidade de São Paulo, onde se encontra internado. O deputado terá o prazo de dez dias para apresentar defesa, após a qual a Corregedoria da Assembleia levantará informações adicionais que auxiliem o corregedor a formar o seu juízo a respeito do caso de possível quebra de decoro parlamentar. Tais informações poderão ser coletadas inclusive no inquérito policial em curso. Na seqüência, a Mesa apresentará um parecer baseado no relatório da Corregedoria, para instruir o Conselho de Ética. Ao final, o rito legal prevê a votação em plenário.
“O processo será feito de forma imparcial e com honestidade, devendo ser realizado no menor prazo possível, pois a sindicância será realizada para esclarecer a sociedade”, assegurou Accorsi.
Para o presidente do Conselho de Ética, Pedro Ivo, o passo mais importante foi dado nesta manhã (18), quando os deputados decidiram instaurar o processo de sindicância. Ele disse ainda que as providências sejam feitas no menor prazo possível, devendo durar no máximo 30 dias a apuração dos fatos por parte do Conselho.
O processo foi iniciado quando o advogado Elias Mattar Assad, representando Gilmar Yared e Cristhiane Souza Yared – pais de Gilmar Rafael Souza Yared, falecido no acidente automobilístico, protocolou na Assembleia um documento para que fosse instaurado processo de cassação do mandato do parlamentar por quebra de decoro.

Flávia Prazeres

Relacionadas

AGORA FOI

Bolsonaro anuncia Milton Ribeiro como novo ministro da Educação

DESENVOLVIMENTO

Novo contorno rodoviário consolida Pato Branco como polo do Sudoeste

MOBILIZAÇÃO

Campanha nacional "Fora, Bolsonaro" tem início nesta sexta (10)

Comentários