Beto Richa autoriza aumento de 27% no efetivo policial do Gaeco

O governador Beto Richa autorizou o aumento de 27% no efetivo de policiais civis e militares que ficarão à disposição do Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco), vinculado ao Ministério Público do Paraná (MP-PR). A medida publicada no Diário Oficial desta quarta-feira (8) aumenta de 56 para 71 o número de agentes cedidos às seis unidades do Gaeco no Estado. 

Com a decisão, o Gaeco vai contar com 25 policiais civis e 46 policiais militares, que serão distribuídos entre as seis unidades do grupo no Paraná. No núcleo de Curitiba, por exemplo, o efetivo vai aumentar mais 50%, passando de 13 para 21 policiais. 

“Temos de ser implacáveis contra o crime. Nossa intenção é fortalecer a parceria que temos com o Ministério Público e garantir uma boa estrutura de pessoal para o pleno funcionamento do Gaeco, que tem dado boas contribuições para os avanços conquistados na segurança do Estado”, afirmou o governador. 

No início do ano, Richa assumiu a responsabilidade pela liberação de todos os servidores estaduais cedidos ao Ministério Público. Na terça-feira, ele recebeu uma lista com o nome dos policiais pedidos pela Procuradoria-Geral de Justiça e autorizou a cessão. 

Richa também assumiu o compromisso com o Procurador-Geral de Justiça do Paraná, Gilberto Giacoia, de ceder um efetivo de auditores da Receita Estadual para o Gaeco. “Faremos a liberação assim que o Estado receber a solicitação”, disse o governador. 

REGULAMENTADA

A atuação do Gaeco no Estado foi regulamentada pelo governador Beto Richa através de decreto de 2012. Antes disso, não havia nenhum documento que oficializava a atuação do órgão. 

Richa disse que a oficialização da parceria entre o Estado e o Ministério Público é importante para garantir resultados mais eficientes na área da segurança pública, a principal preocupação da população. 

O Gaeco é o órgão que se destina à investigação e ao combate ao crime organizado e controle externo da atividade policial, promovendo as ações penais pertinentes. Hoje, conta com núcleos em Curitiba, Londrina, Foz do Iguaçu, Cascavel, Maringá e Guarapuava. 

Relacionadas

VIOLÊNCIA

Sábado sangrento deixa três mortos em Rio Bonito Iguaçu

PERIGO

Casal foge de perseguição no Centro de Guarapuava

VIOLÊNCIA DOMÉSTICA

Homem arromba portão para agredir ex-mulher em Guarapuava

Comentários