Cristina consegue que escolas estaduais tenham psicólogos

Projeto, que tem coautoria do deputado Bacil, estabelece diretrizes para o acompanhamento psicológico na rede estadual de ensino

Deputados Emerson Bacil, Cristina Silvestri e secretário Renato Feder (Foto: Ascom)

A deputada estadual Cristina Silvestri (Cidadania) conseguiu aprovar o Projeto de Lei para que alunos do Estado tenham acompanhamento psicológico. O projeto tem a coautoria do deputado Emerson Bacil. De acordo com a deputada, agora os alunos contarão com o acompanhamento de pelo menos um psicólogo por escola, que estará alinhados às necessidades e prioridades definidas pelas políticas de educação.

“Um avanço para os colégios e alunos. Pois irá contribuir com a diminuição dos índices de violência, bullying e tantos outros traumas que, infelizmente, ainda ocorrem nas escolas”.

Conforme a lei, o psicólogo escolar, habilitado, terá a função de atuar junto aos alunos, família, corpo docente, direção e equipe técnica. Assim, o número de psicólogos por Núcleo Regional de Educação (NRE) será definido pela Secretaria de Estado de Educação. O cronograma de atendimento nos colégios também será de responsabilidade do Estado.

“Esta iniciativa é também preventiva, para que não tenhamos mais desastres no Brasil como foi Realengo e Suzano. Nesses município houve a morte de vários estudantes, provocadas por ex-alunos que entraram atirando e provocando as mortes”.

Assim, a parlamentar entende que psicólogo é um profissional fundamental para promover o equilíbrio e o crescimento do indivíduo. “A sua participação no processo de ensino, nos dias de hoje, é  imprescindível para o bom desenvolvimento das nossas crianças e jovens”. De acordo com a deputada, o projeto contou com o apoio do secretário de estado da educação, Renato Feder.

COMBATE AO BULLYING

Outra iniciativa de Cristina Silvestri também já atende a área da educação. A Lei 19.775/2018, proposta pela deputada, incrementou o Programa Estadual de Combate ao Bullying, instituído no Estado em 2012.

Entre as mudanças está a exigência de relatórios bimestrais das ocorrências de bullying registradas nas escolas. Conforme a deputada, os dados subsidiarão o planejamento do Estado no combate à violência escolar.

Leia outras notícias no Portal RSN.

Relacionadas

COVID-19

Paraná registra 153 mortos desde o início da pandemia

UTILIDADE PÚBLICA

Baixa temperatura pode congelar água dentro de hidrômetros

COVID-19

Protocolo da Saúde instrui municípios sobre centros comerciais

Comentários