Discussão do passe livre tem avanços

Guarapuava – Guarapuava – Vereadores, lideranças estudantis, empresa e o prefeito em exercício Jorge Luiz Massaro consideraram positivo o encontro que tratou da implantação do passe-livre para estudantes em Guarapuava.
A reunião proposta pelo vereador Thiago Cordova (PPS) aconteceu na tarde de segunda-feira, dia 15, no gabinete do prefeito. Admir Strechar (PMDB), Gilson Amaral (DEM), Lizandro Martins (PSB), Eva Schran (PHS),Fernando Alberto dos Santos (PP), vereadores que compõem a comissão que estuda a viabilidade dessa proposta ao lado de representantes dos estudantes e de outras entidades, participaram do debate.
Ficou deliberado que uma outra comissão irá a Cascavel, município que já tem a gratuidade do passe estudantil, em busca desse know-how. A data dessa viagem técnica está sendo agendada.
O que os estudantes estão propondo é a concessão de uma cota mensal correspondente a 50 passes para os estudantes cadastrados no sistema e previamente selecionados por um comitê gestor a ser formado. O passe terá validade durante o ano letivo e será concedido a estudantes do ensino funamental, médio e superior, comprovadamente de baixo poder aquisitivo (até dois salários mínimos por mês) e que morem numa distância mínima de um quilômetro da escola.
Segundo o gerente da Pérola do Oeste, permissionária do transporte coletivo urbano, Ruy de Camargo e Silva Junior, a empresa possui cerca de 7 mil estudantes cadastrados para o meio passe. “Nem todos usufruem desse benefício”, diz.
O custeio da gratuidade deverá ser de responsabilidade do município por meio de impostos ou outra renúncia fiscal. Pela proposta dos estudantes essa despesa seria de cerca de R$ 135 mil por mês.
Massaro defendeu a parceria de grandes empresas como colaboração para esse subsídio.
Entre todos os presentes, porém, o denominador comum é que o usuário não popder ser onerado com mais essa gratuidade. “Hoje o meio passe e a isenção para idosos e portadores de deficiências onera o bolso do usuário porque há o repasse para o valor da tarifa”, observa Ruy.
“Não queremos que o trabalhador arque com essa despesa porque a emenda sairia pior do que o soneto”, diz o líder estudantil Luan Chagas.
Após o retorno da viagem a Cascavel o próximo passo será uma nova conversa e, possivelmente, a elaboração do projeto de lei que deverá ser de autoria do Executivo por se tratar de renúncia fiscal.
“O fato de termos feito uma audiência pública e de estar aqui conversando, pela primeira vez, com o prefeito já significa um avanço”, afirma Pedro Moraes, presidente do Centro de Atividades Estudantis de Guarapuava.
“Estamos consolidando a proposta da Mesa Executiva da Câmara que é de aproximar os vereadores da população e juntos debatermois e buscarmos solução para os problemas”, diz Strechar.
Para Massaro o Executivo e o Legisltivo estão vivendo uma fase de harmonia em prol do bem comum. “O momento não é de cores ou diferenças partidárias, mas de soma de esforços pelo desenvolvimento de Guarapuava. Esses jovens (os estudantes) querem ser ouvidos em seus anseios e é isso que estamos fazendo”, afirmou o prefeito.

Relacionadas

Matrículas para cursos técnicos são prorrogadas até 19 de janeiro

MUDANÇAS

Ratinho Junior sanciona lei que altera regras das escolas cívico-militares

CORRE SE INSCREVER!

Último dia para se inscrever para as bolsas do Prouni

Comentários