Empresa seleciona trabalhadores para obras na BR-153

O Consórcio CCM/PSO está ofertando diversas vagas para profissionais interessados em trabalhar nas obras de recuperação, conservação e manutenção da BR-153, no trecho de 113 km entre Imbituva e Paulo Frontin/PR. Os interessados devem procurar a Agência do Trabalhador de Irati, na Avenida Vicente Machado, 455. As oportunidades são para operador de máquinas, apontador, laboratorista de solo e auxiliar de laboratorista de solo.

Segundo a Agência do Trabalhador, o Consórcio já realizou a seleção de pessoas para trabalhar no cargo de serviços gerais e parte administrativa. A empresa responsável pelas obras também está procurando locais para alojamento dos profissionais, que possuem experiência em conservação de rodovias, que irão atuar nas obras.  

A ordem de serviço do projeto denominado Crema 2 já foi assinada em março. O contrato é válido por cinco anos e não inclui a possibilidade de aditivo. 

Conforme o edital de licitação o trecho que deverá ser recuperado compreende a BR-369 divisa entre os estados de São Paulo, Paraná e Santa Catarina e dois sub-trechos. Um deles começa na PR-092 passando pela BR-376 numa extensão de aproximadamente 192 km e outro tem início na BR-373, em Imbituva, e segue até a PR-160, em Paulo Frontin. Os trabalhos serão concentrados entre os km 294,8 e 408, totalizando 113,2 km. O Lote 6 tem ao todo 305,6 km.

Segundo o contrato, a empresa licitada deverá refazer a pavimentação asfáltica nos dois primeiros anos de execução do projeto. Nos três anos seguintes, a empresa segue com a manutenção, dos serviços que ela mesma executou. “O Crema envolve um projeto mais profundo no pavimento. Desde o projeto há uma diferença porque são utilizados equipamentos que detectam em profundidade as condições da pista. Você tem noção exata do que é necessário para correção do pavimento tornando uma pista segura para os condutores”, relata o assessor de comunicação do Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (DNIT), Marco Bianchi. 

Já as obras de recuperação funcional e estrutural do pavimento compreendem a sinalização e drenagem em todo o lote, serviço de manutenção de pista e acostamento, conservação da faixa de domínio, reforço e recuperação de obras de arte especiais, além de pequenas adequações em trevos e terceiras faixas quando inferiores a 10% do valor global da obra.

Biachi explica que a seleção de funcionários que irão atuar nas obras é de total responsabilidade do Consórcio licitado. “A ordem de serviço já foi dada. No entanto, a empresa está no processo de estruturação, o que inclui contratar funcionários, organizar as equipes e montar os canteiros de obra”, diz Biachi. Segundo ele, o trabalho de avaliação da empresa já teve início e deverá ser concluído num prazo de 30 a 45 dias.  
OBRAS

A obra do Crema 2 foi licitada em R$ 174 milhões e prevê a recuperação, restauração e manutenção da rodovia em um lote de mais de 300 km, que passa pelos municípios de Imbituva, Irati, Rebouças, Rio Azul, Mallet e Paulo Frontin.

Até o início das obras do Crema 2 continua em vigência o contrato com a empresa Exato Engenharia Ltda, que foi a segunda colocada no processo licitatório do edital 369/2011, para a manutenção da BR-153. A empresa de Curitiba aceitou realizar a obra por R$ 6 milhões, valor orçado durante a primeira licitação vencida pela Pavisan, de Minas Gerais, que perdeu o direito de executar a obra em função de ter decretado processo de falência. 

Desde a assinatura do contrato em outubro de 2012, a Exato tem o prazo de 720 dias para realizar a conservação, roçada e sinalização do trecho de 113 km entre Imbituva e Paulo Frontin, através do Plano Anual de Trabalho e Orçamento (Pato).

Bianchi comenta que as obras da empresa Exato serão concluídas assim que o projeto do Crema 2 começar a ser executado.

Informações e foto Radio Najua.

Relacionadas

DESAFIOS

Desafios do EaD: como está sendo a adaptação do ensino a distância

MUITO AMOR

Mãe de quíntuplos se sente completa com a maternidade

DIA DAS MÃES

Ela já sentiu as dores e amores de ser mãe. Um relato pessoal de Miriam

Comentários