Gaeco e Gepatria denunciam 13 pessoas por fraudes na coleta de lixo

Os pregões foram baseados em preço máximo de um único orçamento de uma empresa

Gaeco fez parte das investigações (Foto: Divulgação)

O Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco) e o Grupo Especializado na Proteção do Patrimônio Público e no Combate à Improbidade Administrativa (Gepatria) de Guarapuava, apresentaram denúncia contra 13 pessoas investigadas na contratação de empresas sobre a coleta de lixo. Segundo o Gaeco, os réus são acusados de fraudes a licitações para contratação de empresas para coleta e destinação final de resíduos. Os municípios envolvidos são: de Vitorino, Ampére, Matelândia e Pinhão.

De acordo com as investigações, os pregões foram baseados em preço máximo de um único orçamento de uma empresa. A mesma que depois venceu todas as licitações. Além disso, em dois municípios, foram inseridas cláusulas de direcionamento nos editais. Para isso, foi estabelecido limite máximo de distância entre o município e o aterro sanitário.

Conforme o MP, a primeira fase da operação foi deflagrada em 24 de julho de 2018. Trata de investigação sobre organização criminosa estruturada para a prática do crime de cartel no mercado licitatório de resíduos sólidos. O alvo eram as regiões Sudoeste, Centro-Oeste e Centro-Sul do Paraná.

Relacionadas

TRÂNSITO

Rua XV de Novembro é revitalizada com nova sinalização em Guarapuava

PERIGO IMINENTE

Morte de Lucas em acidente na PR-170 reforça urgência na obra de trevo

PANDEMIA DA COVID-19

Surg orienta sobre descarte de lixo contaminado por covid-19

Comentários