Guarapuava está incluída em pacote de modernização de sistema carcerário

Porém, reforma será paliativa, já que Guarapuava precisa de uma nova cadeia ou Casa de Custódia

Cadeião é anexo à Delegacia de Polícia Civil de Guarapuava (Foto: Larissa Ortiz/RSN)

Guarapuava está incluída no ‘pacote’ anunciado pelo Governo do Paraná nesta quinta (27). Conforme o anúncio, a modernização do sistema carcerário se dará em 33 unidades de 13 municípios paranaenses. As obras absorverão R$ 14 milhões, recursos estes do tesouro Estadual.

Segundo o Governo, as intervenções serão gerenciadas pela Paraná Edificações (Predi), de acordo com a demanda de cada unidade. O prazo previsto é de até 210 dias.

De acordo com o Departamento Penitenciário do Estado (Depen), o ‘pacote’ será destinado a penitenciárias, cadeias públicas, delegacias, casas de custódia e institutos médicos legais (IML) do Estado.

Em Guarapuava, no espaço destinado às celas superlotadas, que abrigam 460 presos, hoje está sendo construído um corredor para separar a carceragem em quadrantes. Além disso, em 2019 a cadeia pública de Guarapuava registrou diversas mortes de presos, ainda sem solução.

Entretanto, outras obras também podem ser executadas. O portal RSN entrou e contato com o Depen para mais informações, mas foi remetido à Secretaria de Estado da Segurança Pública. Porém, o telefone de contato estava desligado e no sistema geral ninguém atendeu a ligação.

Cadeião abriga hoje 460 presos (Foto: Arquivo/RSN)

Segundo o Governo, as obras anunciadas pelo governador Carlos Massa Ratinho Junior preveem desde a instalação e substituição de grades em diversos pontos. Assim como reformas de refeitórios – Guarapuava não tem – até a renovação completa de instalações elétricas. Mas, não foi possível

Entretanto, embora essas obras sejam necessárias e urgentes, são paliativas. Há a necessidade de transferir a carceragem para uma Casa de Custódia que há muito tempo precisa ser construída.

Para o delegado-chefe da 14ª Subdivisão Policial (SDP), Rubens Miranda Junior, a reforma é importante, mas não resolve. “A construção de uma nova cadeia é necessária”.

Localizada no Centro da cidade, em área de moradias e de comércio, a cadeia convive com a superlotação de presos. Muitos dos quais, já estão condenados pela Justiça. Assim, o ‘cadeião’, padece com tentativas e fugas constantes.

GUARAPUAVA FICOU DE FORA

O Governo do Paraná confirmou no fim do ano passado a abertura três mil novas vagas no sistema prisional no Estado. Assim, serão quatro novas cadeias públicas, além da implantação de três novas delegacias. O investimento soma R$ 81 milhões.

Embora Guarapuava reivindique a construção de uma Casa de Custódia, o município não foi escolhido para a construção de nova cadeia.

Entretanto, já em construção as quatro novas unidades contemplam Foz do Iguaçu, Londrina, Ponta Grossa e Guaíra. Outras três delegacias serão entregues em cidades da Região Metropolitana de Curitiba: Araucária, Almirante Tamandaré e Colombo.

DÉFICIT

Durante a autorização para liberar o recurso de R$ 14 milhões, o governador Carlos Massa Ratinho Júnior disse que o Paraná avança no combate à criminalidade.

“Ao longo do tempo o Paraná acabou deixando essa questão de lado. Assumimos o mandato com um déficit muito grande na área. Agora estamos fazendo projetos e encaminhando as licitações para resolver o problema”.

Já, o diretor-geral do Depen, Francisco Caricati observou que boa parte do sistema prisional do Estado é bastante antigo, necessitando de manutenção periódica. “O que estamos fazendo também é a modernização das unidades, garantindo mais segurança e confiabilidade ao sistema”.

Leia outras notícias no Portal RSN.

 

Relacionadas

COVID-19

Dois casos de covid-19 foram confirmados em Guarapuava neste domingo

INCÊNDIO

"O incêndio deixou a casa totalmente destruída" afirmam bombeiros

DIA DA ÁRVORE

Instituto Água e Terra desenvolve ação para o Dia da Árvore

Comentários

WP2Social Auto Publish Powered By : XYZScripts.com