Guarapuava está incluída em pacote de modernização de sistema carcerário

Porém, reforma será paliativa, já que Guarapuava precisa de uma nova cadeia ou Casa de Custódia

Cadeião é anexo à Delegacia de Polícia Civil de Guarapuava (Foto: Larissa Ortiz/RSN)

Guarapuava está incluída no ‘pacote’ anunciado pelo Governo do Paraná nesta quinta (27). Conforme o anúncio, a modernização do sistema carcerário se dará em 33 unidades de 13 municípios paranaenses. As obras absorverão R$ 14 milhões, recursos estes do tesouro Estadual.

Segundo o Governo, as intervenções serão gerenciadas pela Paraná Edificações (Predi), de acordo com a demanda de cada unidade. O prazo previsto é de até 210 dias.

De acordo com o Departamento Penitenciário do Estado (Depen), o ‘pacote’ será destinado a penitenciárias, cadeias públicas, delegacias, casas de custódia e institutos médicos legais (IML) do Estado.

Em Guarapuava, no espaço destinado às celas superlotadas, que abrigam 460 presos, hoje está sendo construído um corredor para separar a carceragem em quadrantes. Além disso, em 2019 a cadeia pública de Guarapuava registrou diversas mortes de presos, ainda sem solução.

Entretanto, outras obras também podem ser executadas. O portal RSN entrou e contato com o Depen para mais informações, mas foi remetido à Secretaria de Estado da Segurança Pública. Porém, o telefone de contato estava desligado e no sistema geral ninguém atendeu a ligação.

Cadeião abriga hoje 460 presos (Foto: Arquivo/RSN)

Segundo o Governo, as obras anunciadas pelo governador Carlos Massa Ratinho Junior preveem desde a instalação e substituição de grades em diversos pontos. Assim como reformas de refeitórios – Guarapuava não tem – até a renovação completa de instalações elétricas. Mas, não foi possível

Entretanto, embora essas obras sejam necessárias e urgentes, são paliativas. Há a necessidade de transferir a carceragem para uma Casa de Custódia que há muito tempo precisa ser construída.

Para o delegado-chefe da 14ª Subdivisão Policial (SDP), Rubens Miranda Junior, a reforma é importante, mas não resolve. “A construção de uma nova cadeia é necessária”.

Localizada no Centro da cidade, em área de moradias e de comércio, a cadeia convive com a superlotação de presos. Muitos dos quais, já estão condenados pela Justiça. Assim, o ‘cadeião’, padece com tentativas e fugas constantes.

GUARAPUAVA FICOU DE FORA

O Governo do Paraná confirmou no fim do ano passado a abertura três mil novas vagas no sistema prisional no Estado. Assim, serão quatro novas cadeias públicas, além da implantação de três novas delegacias. O investimento soma R$ 81 milhões.

Embora Guarapuava reivindique a construção de uma Casa de Custódia, o município não foi escolhido para a construção de nova cadeia.

Entretanto, já em construção as quatro novas unidades contemplam Foz do Iguaçu, Londrina, Ponta Grossa e Guaíra. Outras três delegacias serão entregues em cidades da Região Metropolitana de Curitiba: Araucária, Almirante Tamandaré e Colombo.

DÉFICIT

Durante a autorização para liberar o recurso de R$ 14 milhões, o governador Carlos Massa Ratinho Júnior disse que o Paraná avança no combate à criminalidade.

“Ao longo do tempo o Paraná acabou deixando essa questão de lado. Assumimos o mandato com um déficit muito grande na área. Agora estamos fazendo projetos e encaminhando as licitações para resolver o problema”.

Já, o diretor-geral do Depen, Francisco Caricati observou que boa parte do sistema prisional do Estado é bastante antigo, necessitando de manutenção periódica. “O que estamos fazendo também é a modernização das unidades, garantindo mais segurança e confiabilidade ao sistema”.

Leia outras notícias no Portal RSN.

 

Relacionadas

UTILIDADE PÚBLICA

Energisa divulga desligamento programado para Guarapuava

TRANSPORTE COLETIVO

Pérola do Oeste agradece pela dedicação de seus colaboradores

PANORAMA COVID-19

Coronavírus: sobem de 31 para 44 os casos suspeitos em Guarapuava

Comentários