Pandemia do novo coronavírus impacta o turismo em Guarapuava

Por hora, os hotéis estão cancelando eventos e fechando as portas. Já as agências de turismo estão adiando as viagens e pacotes para o próximo semestre

Pandemia do novo coronavírus impacta o turismo em Guarapuava (Fotos: Secom/Prefeitura de Guarapuava)

A pandemia do novo coronavírus afetou o transporte terrestre e aéreo no mundo. E quando se fala em viagens e turismo, não tem como deixar de fora os meios de transporte e hotéis. Passagens e pacotes de viagens sendo cancelados. Aeroportos vazios. Ninguém quer viajar mais por enquanto devido o risco de contaminação.

No começo de dezembro do ano passado, ninguém cogitava uma possível crise global. Pelo contrário, muitas pessoas fizeram planos, planejaram viagens de férias e a negócios. Foi assim, com a policial Alessandra da Silva e com outros tantos mundo afora.

Sempre que pode, Alessandra reúne sua família e viaja para algum canto do Brasil. Em dezembro, ela e a prima compraram em uma agência de Guarapuava, um pacote para Porto Seguro. Buscando fugir da alta temporada, ela marcou a viagem para esta terça (24).

Segundo Alessandra, seriam oito dias de puro desfruto. “Estava tudo certo. Eu já havia reservado este período para poder descansar e relaxar um pouco da correria do dia a dia”.

Entretanto, ela e centenas de milhares de pessoas tiveram que remanejar viagens e férias em decorrência do novo coronavírus.

Turismo

De acordo com a Associação Brasileira de Agências de Viagens (Abav), neste mês a taxa de cancelamento de viagens atingiu 85%. Além de lidar com pedidos de reembolso, a receita tem sido próxima a zero nos últimos dias em alguns casos. Em nota, a entidade considera que “os impactos imediatos já preocupam a sustentabilidade dos negócios, uma vez que não há previsões de novos faturamentos”.

Em Guarapuava, o cenário não é tão comprometedor. As agências de viagens estão trabalhando com as operadoras para que o cancelamento seja a última opção. Para Jussara Klososki, proprietária da agência ViajarMais, “se pudêssemos comparar, para o setor do turismo esta crise já pior do que a vivenciada em 2009 com a H1N1. O novo coronavírus veio em efeito dominó”.

Assim, conforme Jussara, as viagens internacionais foram postergadas para o próximo semestre. “Os voos e pacotes de viagens nacionais foram adiados para maio”.

Jussara afirma que todos os voos e pacotes de viagens nacionais foram adiados para maio (Foto: ViajarMais)

A estimativa da Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC) aponta que somente na primeira quinzena de março, o volume de receitas do setor de turismo brasileiro caiu 16,7% em relação ao mesmo período do ano passado.

Isso representa uma perda equivalente a R$ 2,2 bilhões, segundo a CNC. Hoje, o Brasil está com as fronteiras fechadas com todos os países vizinhos, à exceção do Uruguai.

Santana do Livramento e Rivera, fronteira do Brasil com o Uruguai (Foto: Marcelo Pinto/Fotos Públicas)

Para Maria Tereza, agente de viagem da CVC de Guarapuava, “a perspectiva do setor é a pior a possível”. Em Guarapuava, as agências de turismo ainda não têm o impacto calculado, mas o trabalho para desmontar os planos com as companhias aéreas e a rede hoteleira tem sido diário. Por hora, a CVC está adiando todos os voos e pacotes para setembro deste ano.

Crise

Segundo a CNC, apesar das medidas econômicas emergenciais adotadas no mundo para barrar a Covid-19, a queda no fluxo de passageiros tende a impor severas perdas ao turismo. Porém, a crise atinge também quem não estava pensando em férias, mas havia se programado para ir a eventos, comemorar aniversários e participar de congressos acadêmicos.

De acordo o empresário Roberto Küster, “há pelo menos 10 dias, já a informação de cancelamento de reservas em hotéis de Guarapuava e Região em decorrência do novo coronavírus”. Assim, Küster decidiu por fechar o hotel na última sexta (20), respeitando as determinações do Governo do Estado.

Ainda não há uma data prevista para que os serviços do hotel voltem a normalidade (Foto: Divulgação/Küster Hotel)

A direção do Küster Hotel, da CVC e da ViajarMais, informaram que estão ofertando todo o suporte possível por meio de mensagens, ligações por telefone, realocações e ajustes necessários que se encaixam nas agendas dos seus clientes.

Por fim, Associação Brasileira de Agências de Viagens afirmou que esta é a “maior crise vivenciada pelo setor na era atual” e disse prever “um altíssimo índice de falências entre as empresas relacionadas ao turismo, resultando em milhares de pessoas desempregadas e impactos diretos e indiretos no PIB brasileiro”.

Direitos

Conforme o Procon do Paraná, os consumidores devem ficar atentos aos direitos de cancelamento e reembolso das viagens aéreas ao exterior em casos como alertas sobre riscos de saúde. Entretanto, os procedimentos das companhias, têm sido influenciados pelos pronunciamentos da OMS.

De acordo com a chefe do Procon-PR, Cláudia Silvano, “o consumidor deve abrir reclamação e apresentar todos os documentos relativos à contratação e compra da passagem, para que Procon possa dar abertura do processo administrativo e prosseguir no pedido de retorno do valor pago”.

(*Com informações da Agência Estadual de Notícias e o Portal Uol)

Leia outras notícias no Portal RSN.

Relacionadas

MODELO

Cilla Tech Park atrai investidores de Cascavel para Guarapuava

REGULARIZAÇÃO

Alguns estabelecimentos precisam regularizar cadastro no 'Comida Boa'

DEFESA DO CONSUMIDOR

Procon de Guarapuava retoma audiências, mas no formato virtual

Comentários

WP2Social Auto Publish Powered By : XYZScripts.com