Petrobras quer melhorar condições de vida de comunidades lindeiras em Araucária

O guarapuavano Francisco Essert é um dos diretores da Gerar

Apresentação do programa (Divulgação)

Araucária é um importante polo industrial do Paraná e o reflexo dessa atuação é que o município é o segundo do Estado em arrecadação de ICMS, mesmo ocupando a 13ª posição em quantidade de habitantes. A Refinaria Presidente Getúlio Vargas (Repar), da Petrobras, é uma das indústrias que contribuem de maneira significativa para a região, principalmente por seu faturamento e empregabilidade, mas também pelo apoio socioambiental que oferece para a cidade.

Um dos projetos que a Petrobras patrocina na região é o Alvorecer. Realizado pela organização social Gerar, que tem o guarapuavano  Francisco Essert, tem como objetivo qualificar jovens e adolescentes das regiões lindeiras da Repar – com principal foco nos bairros Jardim Alvorada e Thomaz Coelho. Ao todo, 139 adolescentes participaram da primeira fase do projeto, que aconteceu entre 2015 e 2017 e conseguiu inserir cerca de 70% dos participantes no mercado de trabalho. “Ações como essas demonstram que as empresas estão se preocupando com as populações que vivem ao seu redor. No caso de Araucária e da Repar, o Alvorecer é importante porque qualifica jovens e adolescentes, com especial atenção para aqueles em situação de vulnerabilidade social, gerando novas possibilidades de rendimentos conhecimentos que talvez eles não tivessem contato por outros meios”, comenta a superintendente institucional da Gerar, Heloisa Arns.

Agora, o projeto entra na segunda fase, com o objetivo de ensinar gastronomia para 150 moradores dos bairros Jardim Alvorada e  Thomaz Coelho de Araucária com idade  entre 17 e 29 anos. A proposta veio após uma análise das oportunidades de trabalho, considerando o crescimento da área de alimentação nos últimos anos na região.

Mas a ideia não é só ensinar um novo ofício: é também promover a formação humana. “O curso tem um total de 114 horas. Além das disciplinas específicas de gastronomia, que vão desde uma introdução à cozinha até os procedimentos de segurança na manipulação de alimentos, os participantes também terão contato com noções de planejamento de vida e atendimento ao cliente”, completa Heloisa. Ela ainda ressalta que o projeto contém uma disciplina focada em direitos humanos. “O respeito à orientação sexual, raça e etnia é um ensinamento necessário para formarmos cidadãos integrais e para construirmos um País e um mundo cada vez melhor”, projeta.

No total, serão abertas seis turmas para o Projeto Alvorecer, com inscrições gratuitas e que podem ser realizadas na Associação de Moradores do Jardim Alvorada. Para participar, é necessário residir nos bairros Jardim Alvorada ou Thomaz Coelho, ter entre 17 e 29 anos, e também estar matriculado em alguma instituição de ensino ou ter concluído o ensino médio.

Fortalecendo as lideranças locais

Envolver a liderança de 11 comunidades localizadas no entorno da Repar também faz parte do projeto Alvorecer. Estão previstas reuniões para fortalecer a autonomia, o protagonismo das lideranças comunitárias, a realização de palestras e oficinas sobre temas diversos, como saúde, empregabilidade e empreendedorismo. “A ideia é trazer inovação e conhecimento para as comunidades, possibilitando que elas possam desenvolver seus projetos e ideias”, completa a superintendente da Gerar. Ela ainda ressalta que a educação, somada ao trabalho, pode ser grande instrumento de transformação social. “Pode parecer um mero lugar-comum, mas ‘ensinar a pescar’ é o que fará a diferença. E a educação, nesse cenário, é essencial para empoderar as pessoas para que elas busquem suas realizações”.

 

Relacionadas

DÓLAR

Dólar fecha no maior valor dos últimos nove meses

INOVAÇÃO

Estudantes de escolas municipais de Guarapuava aprendem robótica

DECISÃO

MEC reajusta transporte escolar

Comentários