Caminhos e centros de fé: as igrejas e a religiosidade em Turvo

Projeto municipal cataloga as igrejas e capelas da cidade

Até o momento, o projeto já mapeou 55 igrejas no município (Foto: Ascom/Prefeitura de Turvo)

Quão importante podem ser as histórias e os caminhos da fé para a cultura social e histórica de uma cidade? O que a religião pode dizer sobre determinada cidade e como podemos compreender nossa cultura por meio dela? É na busca por essas respostas e contribuições que um projeto municipal de Turvo está mapeando as igrejas da cidade desde junho deste ano e que, até o momento já identificou 55 igrejas, na sede e no interior.

Dentre as já mapeadas está a Capela São João Batista, fundada em 1940. Localizada na comunidade rural Faxinal da Boa Vista, é essa igreja a responsável por abrir as publicações semanais do município, que contarão detalhes sobre as histórias e singularidades de cada espaço religioso de Turvo, como destaca Estevão Neumann, diretor do departamento de turismo e idealizador do projeto proposto em maio deste ano.

A proposta desde trabalho é levantar/mapear a história local do município de Turvo, Paraná, no que diz respeito à cultura religiosa histórica, ou seja, quais as primeiras igrejas? Número de igrejas e capelas hoje? Quem foram os precursores destas capelas em cada comunidade rural e na sede. Em resumo, é resgatar essa rica história que tem tanta importância para os munícipes.

De acordo com o diretor, além das 55 igrejas localizadas, o departamento tem conhecimento da existência de mais dez igrejas, aproximadamente, a serem ainda mapeadas. Das já catalogadas, dez foram fotografadas e serão apresentadas, semanalmente, aos munícipes. Além dos registros fotográficos, o projeto realiza, ainda, entrevistas com a população das comunidades, a fim de resgatar a história de cada capela.

Buscando o fortalecimento do turismo religioso em Turvo, a catalogação das igrejas do município exalta a ânsia de apresentar aos turistas a história do município de forma prática e eficiente. Além disso, enaltecer, também, a própria história local do município que concentra 13.653 cristãos, segundo dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), no censo de 2010. A proposta vem, ainda, ao encontro de iniciativas estaduais, já que o Paraná elegeu 2018 como o ano estadual do turismo religioso.

Capela São João Batista (Foto: Ascom/Prefeitura de Turvo)

“Entre os objetivos que temos com esse projeto, eu destaco: identificar todas as formas que possibilitem o turismo religioso do município (igrejas, capelas, eventos e festas religiosas, entre outros), e suas respectivas localizações; mapear todas as igrejas e capelas e desenhar suas rotas; descrever a história de cada uma; verificar as datas dos eventos religiosos; e elaborar um calendário religioso municipal”, evidenciou o diretor.

Assim como o mapeamento das capelas, o município promove, ainda, em paralelo, o levantamento e catalogação das cachoeiras de Turvo. Abaixo, confira um pouco mais sobre a primeira capela mapeada e divulgada.  As informações são da Prefeitura de Turvo.

CAPELA SÃO JOÃO BATISTA

(Foto: Ascom/Prefeitura de Turvo)

Fundada em 1940, a capela está localizada na comunidade rural Faxinal da Boa Vista. O local foi idealizado e construído com apoio da comunidade, sendo sua pintura interna realizada por dois poloneses, os quais não compreendiam o idioma português e eram traduzidos por moradores.

Hoje, mais de 80 famílias participam das celebrações e preocupam-se com a conservação e manutenção do espaço, que atualmente necessita de reparos em sua estrutura física, de forma que não modifique a arquitetura original.

Para as pessoas que quiserem conhecê-la, são realizadas duas missas mensais. A próxima celebração ocorre no dia 27 de outubro, às 9h.

Relacionadas

TURISMO

Da aventura à uma associação para descobrir lugares encantados em Guarapuava e região

NA AGENDA

No Caminho de São Francisco, um pedaço do paraíso pertinho de Guarapuava

NA AGENDA

Que tal curtir o feriadão sob a lua cheia, em Ponta Grossa?

Comentários