Olhar diferenciado do Grupo MGT abraça a inclusão

Marcelo Germano foi responsável por descobrir talentos como as guarapuavanas Larissa Manoela e Marcelle Bittar

Um olhar diferente por acreditar no valor da diversidade, na importância das diferenças e no potencial de ser instrumento de inclusão. Esse é o denominador comum da visão de pais que possuem filhos especiais inscritos nos programas de Marcelo Germano Talentos, o Grupo MGT responsável pela seleção Projeto Passarela, onde os aprovados são convidados a participar do MGT O Encontro, o maior encontro de talentos do mundo. A empresa, que nasceu há cerca de 20 anos em Guarapuava, cresceu, se solidificou e coloca no mercado fashion, talentos descobertos no município e por aí afora – que o digam Marcelle Bittar e Larissa Manoela.

Se para a maioria das pessoas a realização do sonho em pisar numa passarela, protagonizar um personagem na televisão, ou mostrar uma grife famosa, parece muito distante, o que dizer de alguém que seja portador de alguma deficiência?

Georgia, de 14 anos (Foto: arquivo pessoal)

Georgia, 14 anos, tem Síndrome de Down, mas essa condição não a impede de sonhar e, principalmente, de trabalhar. No último final de semana, ela e a mãe, Rúbia, saíram de Curitiba, onde moram, e foram a Porto Alegre para gravar um comercial. E nesta terça (24), uma agência do Rio de Janeiro já a contatou para novo trabalho.

“Minha filha saiu do MGT selecionada por sete agências, mas ficamos com quatro”, disse Rubia Furlan a REDE+. Com divulgação nas redes sociais, Georgia já tem seguidores.

Essa inclusão promovida pelo Grupo MGT e o fato de minha filha já ser reconhecida nas redes sociais faz com ela se sinta muito bem e seja exemplo para outras pessoas. Além disso, as pessoas a veem diferente e ela conquista novos amigos.

Além de Georgia, outras crianças e adolescentes com deficiências visuais, auditivas, cadeirantes, autistas, e outros também encontram espaço no MGT.

Alessandro Cerabino Junior, 26, de Santo André, interior de São Paulo, também já atua como modelo (Foto: MGT/Divulgação)

De acordo com a diretora artística do Grupo MGT, Cintia Calizotti, o projeto já promove 38 inclusões no mercado de trabalho. Para viabilizar o acesso às seleções, todas as taxas para esse público são isentas.

 

 

 

Duda Moreira (Foto: arquivo pessoal) 

 

 

Eduarda Moreira é um dos talentos descobertos e já protagoniza um longa-metragem. A menina, que mora em Brasília, foi selecionada por 18 produtores e 10 agências durante o Encontro, evento realizado pelo MGT, e hoje estrela o filme Cano Serrado, dirigido por Erick de Castro e Edu Felistoque. De acordo com a mãe Tathiane Moreira, Duda traz a veia artística no DNA.

Eu fiz muito teatro de rua e desde pequena ela me via atuando. Isso foi incentivo. Desde quando ela era bebê o gosto dela já era inclinado à dança, à música, à atuação. Ela preferia assistir musicais do que desenhos.

Assim como os demais, Duda é bolsista em escolas de teatro, ofertadas pelo MGT. Isso abre novas oportunidades. “Ela já fez peças teatrais, recital, comerciais, figuração em longa e nesta semana foi escolhida pela Guinada Produções para o curta O Véu de Amani”.

Para o produtor de elenco do SBT, Thiago Coquelet, o MGT ajuda muito o trabalho de produtores que estão em busca de novos talentos.

“Foi assim no caso da Larissa Manoela, da Lorena Queiroz (Dulce Maria de Carinha de Anjo), Gabriel Müller (Emílio de Carinha de Anjo) e agora da Bela Fernandes (Filipa de As Aventuras de Poliana)”, destaca.

ELAS AVALIZAM

Falar de Larissa Manoela, o fenômeno teen do momento, ou lembrar da internacional Marcelle Bittar, é também falar do Projeto Passarela e do  Grupo MGT. Pais e “estrelas” comprovam essa afirmação.

“O Marcelo pra nós é uma âncora e uma pipa. Ele nos deu toda a base para a carreira e a força para a Larissa voar”, disse Silvana Santos, mãe da guarapuavana Larissa Manoela.

Marcelle Bitar (Foto: Pinterest)

“Viajei o mundo inteiro para fazer campanhas para as maiores marcas, as melhores campanhas, e se não fosse pelo olhar do Marcelo nada disso seria possível”, disse Marcelle Bittar.

Larissa Manoela (Foto: Divulgação)

“O Marcelo Germano é o meu pai profissional. Tenho por ele todo o respeito numa relação de confiança em decisões de caminhos até hoje na minha carreira”, avalizou Larissa Manoela.

Relacionadas

DANÇA

Bailarinos de Guarapuava participam de festival on-line

BOA NOTÍCIA

Acompanhe as oficinas artísticas do MON no Youtube

TIN-TIN

London Pub comemora 10 anos e traz o imperdível Supla para a celebração

Comentários