Um guarapuavano no mundo musical americano

Lucas Matt (Foto: Arquivo pessoal)

Se você for a Nova York ou a New Jersey, sentar na mesa de um daqueles bares maravilhosos e, de repente se deparar com um músico brasileiro animando o ambiente, não se surpreenda. Ele é Lucas Matt, o guarapuavano que deixou a cidade natal em setembro de 2000 e foi atrás da sua mãe Débora Teixeira que morava nos Estados Unidos há seis meses. “Fui morar em New Jersey, que fica a 15 minutos de Nova York. Em dezembro de 2001 meu pai, José de Mattos, também veio para cá”.

Lucas sempre foi envolvido com a música. “Meus pais perceberam o meu interesse musical e me colocarem para fazer aulas na Angel Som. Eles só aceitavam crianças a partir dos seis anos de idade, embora tendo quatro anos, eles abriram uma exceção para mim”.

Mesmo em solo americano Lucas Matt buscou o seu espaço como artista. “Assim que cheguei comecei a tocar numa igreja e praticava violão cinco horas por dia. Quando fui para o high school [segundo grau) fui aceito para uma escola focada em música, onde estudei violão clássico e jazz e quando me formei ganhei uma bolsa para estudar na Beeklee College of Musica em Boston”. A partir de então, Lucas matt começou a compor e a se interessar pela música country. “Hoje toco cinco dias por semana entre New Jersey e Nova York e há pouco iniciamos um trabalho tocando nas estações de metrô em Nova York”.

Pelas suas andanças musicais, Lucas Matt já tocou na Time Square, um dos símbolos de NY, marcando o encontro da Broadway com a 7ª Avenida; na Grand Central Station; Rockefeller Center, entre outros pontos badalados da ilha.

Já tendo cidadania americana, Lucas Matt diz que os EUA também são o seu país. “Vou ao Brasil de vez em quando, mas voltar a morar aí, jamais. Amo a minha vida aqui, pois tive oportunidades de viver fazendo o que amo e conseguindo vive bem ao mesmo tempo”.

Relacionadas

LAZER

MON terá oficina de construção de brinquedos neste domingo

CULTURA PARANAENSE

Férias no Museu Paranaense valorizam povos originários do Paraná

DIFERENÇA PARA QUE É DIFERENTE

O bar mais charmoso da cidade, Stone Crow reabre e vem repaginado

Comentários