Exposição de fotos abre a Semana da Prematuridade do São Vicente

Jonas Laskouski

Guarapuava – "Foi uma sensação de incapacidade, sabe? Você ama aquele serzinho, com todas as suas forças, porém sabe que não está nas suas mãos a vida dele. É um momento de angústia." As palavras são da mãe Mariana Partyka. Seu filho, André Daniel, nasceu prematuramente quando ela estava na 32ª semana de gestação e ficou 20 dias na UTI. Normalmente, uma gestação dura cerca de 40 semanas.

Assim como André Daniel, que hoje está com seis anos de idade, um em cada dez bebês nasce prematuro, no mundo todo. No Brasil, 340 mil bebês nascem dessa maneira todo ano. Mais de 12% dos nascimentos no país ocorrem antes da gestação completar 37 semanas. Um prematuro precisa de cuidados especiais, geralmente em Unidades de Terapia Intensiva, o que aumenta em três vezes o risco de morte e sequelas futuras para sua vida adulta.

Além de ser angustiante, como disse Mariana, são também momentos delicados, tamanha é a fragilidade dessas vidas. E a grande maioria sobrevive. Nas últimas duas décadas, graças à tecnologia e aos novos medicamentos, muito mais prematuros estão terminando seu desenvolvimento fora do útero com sucesso.

E são justamente algumas dessas guerreiras crianças que abrem neste domingo (19), uma exposição no Hospital São Vicente de Paulo, como parte das ações da Semana da Prematuridade, já que novembro, além de Azul, também é Roxo, como forma de se pensar e debater o assunto.

Nas imagens, as crianças hoje com suas fotos de ontem. A ideia foi da Marina, que é fotógrafa. "Eu queria fazer algo diferente. Até as fotos das capinhas de super-heróis já foi feito uma vez. Como eu queria trazer algo novo, já que muitas mães estão com seus filhos na UTI hoje, por que não mostrar que tudo isso vai passar? Foi assim. Passar às mães de hoje a vitória de quem já esteve no lugar delas". Veja alguns desses registros:

A exposição abre às 14h30 deste domingo, seguida por uma programação que segue até quinta feira (23). O Hospital São Vicente de Paulo reuniu pessoas que sabem da seriedade desse momento para realizar uma programação especial destinada às mães de prematuros e gestantes de alto risco. Por isso, fica o convite a elas. Mas qualquer pessoa que se interesse pelo tema, pode participar. Confira:

20/11, às 15h30 – Palestras com o obstetra dr. Rodrigo Feijó, abordando o tema “Gravidez de alto risco: a importância de um acompanhamento adequado”, e com a fisioterapeuta Kassieyne Tozatti, com o tema “O estímulo familiar no desenvolvimento neuropsicomotor do prematuro”. Local: Salão Nobre da Faculdade Campo Real.

21/11, às 17h30 – Roda de Conversa: Depoimentos das mães que passaram pela UTI Neonatal e Médio Risco, e Oficina: Banho de balde e shantala, com a enfermeira Cristiane Küster. Local: Sala 311 da Faculdade Campo Real.

22/11, às 14h30 – Palestras com a pediatra dra. Caroline Bortolotto, com o tema “Acompanhamento ambulatorial de recém-nascidos prematuros”, com a psicóloga Hellen Carolinne Rocha, com o tema “O acompanhamento dos pais ao prematuro hospitalizado”, e com a enfermeira Adrienne Maren Friedrich, com o tema “A importância do aleitamento materno na prematuridade”. Local: Salão Nobre da Faculdade Campo Real

A Semana encerra na quinta (23). Uma caminhada, vai sair da frente ao Hospital São Vicente de Paulo até o Salão Azul da Catedral Nossa Senhora de Belém, onde acontece um coffee break.

 

MAIS VÍDEOS

Comentários