Aberta a temporada da aranha marrom

A aranha marrom, que sempre esteve ligada ao meio rural, tendeu nas ultimas década a se reproduzir em grandes quantidades nas cidades. A ausência de predadores para esse aracnídeo no meio urbano é apontada pelos especialistas como o principal motivo desse crescimento. Entre as aranhas venenosas existentes no Brasil, a pequena aranha marrom é a mais comum e é nos meses de primavera e verão que os acidentes com esse aracnídeo aumentam. Segundo pesquisas do Laboratório de Estudos Interdisciplinares de Pesquisa em Animais Peçonhentos (Lilape) da Universidade Federal do Paraná (UFPR), infelizmente o Paraná é o estado que mais sofre com a presença da aranha.
Entre os meses de novembro e março a incidência de casos tende a aumentar em média 60% em relação aos meses mais frios do ano. Isso representa uma média de 4.200 casos em todo o estado. Desse percentual, em média 25% dos acidentes acontecem na região de Guarapuava, o que representa um número médio de 1.000 pessoas picadas no período.
O aracnídeo frequentemente é encontrado em lugares quentes, secos e escuros. No entanto, com a mudança climática dos meses de primavera e verão o metabolismo da aranha fica mais ativo e o animal sai para caçar. Nesses meses é fácil encontrar a aranha escondida em calçados, roupas de cama, toalhas, etc.
Muitas pessoas negligenciam a gravidade das picadas de uma aranha marrom. Como a picada é totalmente indolor, algumas pessoas deixam de procurar ajuda médica imediatamente após o acidente. É só após 12 a 14 horas que o local da picada apresenta inchaço, vermelhidão, dor local e queimação com ou sem coceira, podendo em alguns casos surgir bolhas, necrose (morte do tecido) e até complicações renais.
Segundo recomendações do Centro de Controle de Envenenamentos (CCE) da Secretaria de Saúde do Paraná, no caso de acidente com aranha marrom, assim como com qualquer outro animal peçonhento, o procedimento ideal é lavar imediatamente o local ferido com água e sabão e evitar qualquer tipo de alteração física na lesão, procurando assistência médica o mais rápido possível.

Prevenção
Os maiores cuidados devem ser tomados antes de dormir, já que as aranhas costumam procurar insetos durante a noite. Objetos em locais de pouco manuseio como quadros e livros são potencialmente perigosos também. No ambiente externo das residências o ideal é evitar o acúmulo de qualquer material nos quintais de casa, além de manter jardins e canteiros limpos.

Relacionadas

CONTRA A COVID-19

Começa vacinação contra a covid-19 em Guarapuava

BOLETIM

Após 11 dias de internação, morre 75ª vítima da covid-19 em Guarapuava

MAIS AGILIDADE

Justiça Federal pode zerar fila de perícias médicas em Guarapuava

Comentários