Ações da Defesa Agropecuária garantem segurança alimentar

A fiscalização garante insumos de qualidade aos produtores e alimentação saudável para a população, diminuindo os riscos à saúde do consumidor

A fiscalização garante insumos de qualidade aos produtores e alimentação saudável (Foto: Reprodução/AEN)

O trabalho desenvolvido pela Agência de Defesa Agropecuária colabora para garantir a segurança alimentar dos paranaenses durante a pandemia. Com atividades como a inspeção de resíduos de agrotóxicos e da qualidade dos insumos agrícolas, os cuidados para prevenção são redobrados.

A fiscalização garante acesso a insumos de qualidade aos produtores rurais e alimentação saudável para a população. De acordo com o gerente de Sanidade Vegetal da Adapar, Renato Rezende Young Blood, entre as atividades feitas está o monitoramento de pragas.

“A Traça-da-Macieira, ou Cydia pomonella, foi recentemente erradicada do Paraná, após trabalho dos fiscais de Defesa Agropecuária. Mas, permanecemos com o monitoramento por meio de armadilhas instaladas para detecção, o que possibilita a identificação de uma possível reentrada e imediata ação de contingência”.

Assim, a Certificação Fitossanitária, com a emissão de Certificado Fitossanitário de Origem (CFO) não foi paralisada na pandemia. Com isso, permitindo a continuidade do trabalho dos responsáveis técnicos pelas áreas produtivas e unidades de comercialização.

AGROTÓXICOS

Dese modo, no mês de maio, fiscais de Defesa Agropecuária coletaram amostras de feijão para análise de possíveis resíduos de agrotóxicos. Essa verificação é feita por meio de coleta de amostras nas propriedades rurais, possibilitando a detecção de ingredientes ativos proibidos ou acima do Limite Máximo de Resíduo (LMR).

Segundo o coordenador do programa Alimento Seguro da Adapar, João Miguel Toledo Tosato, o objetivo é não deixar nenhum risco ou dano à saúde do consumidor. “Foram coletadas amostras de fertilizantes foliares, para apurar possíveis não conformidades na composição, em especial a adição de ativos de agrotóxicos”.

As fiscalizações para os registros iniciais de comerciantes de insumos agrícolas também continuam. Recentemente, a Adapar passou a exigir o registro de comerciantes de mudas cítricas.

COMÉRCIO

Além disso, outra atividade é a de proibir o comércio irregular de mudas e sementes e ao mesmo tempo propiciar ao produtor rural paranaense acesso a insumos de qualidade.

De acordo com a Agência Estadual de Notícias, no fim do mês de abril foi interceptado um carregamento irregular de mudas de diversas frutíferas em trânsito do estado de São Paulo para o Paraná desacompanhadas de Nota Fiscal, Termo de Conformidade ou CFO, totalizando 151 mudas, sendo 102 de citros.

Leia outras notícias no Portal RSN.

Relacionadas

CONVERSA ON-LINE

MIS-PR promove conversa comemorando o dia do patrimônio audiovisual

BOA AÇÃO

Grupo 'Duelo do Bem' começa as reformas no hospital Santa Tereza

TIRA-DÚVIDAS

TSE lança aplicativo para tirar dúvidas no WhatsApp nas eleições 2020

Comentários