Ações da Defesa Agropecuária garantem segurança alimentar

A fiscalização garante insumos de qualidade aos produtores e alimentação saudável para a população, diminuindo os riscos à saúde do consumidor

A fiscalização garante insumos de qualidade aos produtores e alimentação saudável (Foto: Reprodução/AEN)

O trabalho desenvolvido pela Agência de Defesa Agropecuária colabora para garantir a segurança alimentar dos paranaenses durante a pandemia. Com atividades como a inspeção de resíduos de agrotóxicos e da qualidade dos insumos agrícolas, os cuidados para prevenção são redobrados.

A fiscalização garante acesso a insumos de qualidade aos produtores rurais e alimentação saudável para a população. De acordo com o gerente de Sanidade Vegetal da Adapar, Renato Rezende Young Blood, entre as atividades feitas está o monitoramento de pragas.

“A Traça-da-Macieira, ou Cydia pomonella, foi recentemente erradicada do Paraná, após trabalho dos fiscais de Defesa Agropecuária. Mas, permanecemos com o monitoramento por meio de armadilhas instaladas para detecção, o que possibilita a identificação de uma possível reentrada e imediata ação de contingência”.

Assim, a Certificação Fitossanitária, com a emissão de Certificado Fitossanitário de Origem (CFO) não foi paralisada na pandemia. Com isso, permitindo a continuidade do trabalho dos responsáveis técnicos pelas áreas produtivas e unidades de comercialização.

AGROTÓXICOS

Dese modo, no mês de maio, fiscais de Defesa Agropecuária coletaram amostras de feijão para análise de possíveis resíduos de agrotóxicos. Essa verificação é feita por meio de coleta de amostras nas propriedades rurais, possibilitando a detecção de ingredientes ativos proibidos ou acima do Limite Máximo de Resíduo (LMR).

Segundo o coordenador do programa Alimento Seguro da Adapar, João Miguel Toledo Tosato, o objetivo é não deixar nenhum risco ou dano à saúde do consumidor. “Foram coletadas amostras de fertilizantes foliares, para apurar possíveis não conformidades na composição, em especial a adição de ativos de agrotóxicos”.

As fiscalizações para os registros iniciais de comerciantes de insumos agrícolas também continuam. Recentemente, a Adapar passou a exigir o registro de comerciantes de mudas cítricas.

COMÉRCIO

Além disso, outra atividade é a de proibir o comércio irregular de mudas e sementes e ao mesmo tempo propiciar ao produtor rural paranaense acesso a insumos de qualidade.

De acordo com a Agência Estadual de Notícias, no fim do mês de abril foi interceptado um carregamento irregular de mudas de diversas frutíferas em trânsito do estado de São Paulo para o Paraná desacompanhadas de Nota Fiscal, Termo de Conformidade ou CFO, totalizando 151 mudas, sendo 102 de citros.

Leia outras notícias no Portal RSN.

Relacionadas

CALL CENTER

Ligue Saúde Cidadão agiliza atendimentos em Irati

UTILIDADE PÚBLICA

Energisa divulga desligamento programado para Guarapuava

AVANÇO

Saúde confirma terceira morte por covid-19 em Guarapuava

Comentários