Agricultura aprova mudanças para desapropriação de terra

Brasília – A Comissão de Agricultura, Pecuária, Abastecimento e Desenvolvimento Rural aprovou o Projeto de Lei 5288/09, que muda as regras para a desapropriação de propriedades rurais para fins de reforma agrária.
Pela proposta, do deputado Carlos Bezerra (PMDB-MT), para o imóvel rural ser considerado produtivo bastará atingir os graus de exploração da terra definidos pelo órgão federal competente (hoje fixados em 80% da área aproveitável total do terreno).
De acordo com a legislação atual, além do grau de exploração, a propriedade também deve atingir graus de eficiência na utilização da terra, conforme critérios estabelecidos pelo órgão federal responsável.

Exigência injustificada
Para o relator, deputado Cezar Silvestri -foto- (PPS-PR), favorável ao projeto, a exigência simultânea dos dois índices não se justifica. Segundo ele, ao atingir o grau de uso da terra estabelecido pela lei agrária, o imóvel já comprova o aproveitamento racional e adequado da área, que é um dos requisitos para o cumprimento de sua função social.
A Constituição prevê que a propriedade que cumpre sua função social não pode ser desapropriada. Para cumprir essa função, o imóvel rural tem de atender, simultaneamente, aos seguintes pontos:
– aproveitamento racional e adequado;
– utilização adequada dos recursos naturais disponíveis e preservação do meio ambiente;
– observância das disposições que regulam as relações de trabalho; e
– exploração que favoreça o bem-estar dos proprietários e dos trabalhadores.

Rejeição
Na mesma ocasião, a Comissão de Agricultura, Pecuária, Abastecimento e Desenvolvimento Rural rejeitou o Projeto de Lei 6237/09, que tramita apensado ao PL 5288/09. A proposta, do deputado Luiz Carlos Hauly (PSDB-PR), defende a revogação do artigo da lei agrária que define a propriedade produtiva.
Segundo Silvestri, o texto “se choca frontalmente” com a proposta de Carlos Bezerra e representa um risco para os proprietários rurais. Para ele, a previsão na lei do conceito de propriedade produtiva é “uma salvaguarda não somente relativa ao domínio, mas, sobretudo, à posse das propriedades”.

Tramitação
Os PLs 5288/09 e 6237/09, que tramitam em caráter conclusivo e em regime de prioridade, ainda serão analisados pela Comissão de Constituição e Justiça e de Cidadania.

Relacionadas

NOVA MEDIDA

TSE suspende consequências para quem não votou nas eleições de 2020

HOMENAGEM PÓSTUMA

Prefeito decreta luto oficial de três dias pela morte de Bosco

Carreata pede 'impeachment' de Bolsonaro também em Guarapuava

Comentários